EDIÇÃO DIGITAL

Sexta-feira

10 de Julho de 2020

Bolsonaro cita proibição de acesso à praia em Santos e critica: 'Deixem eles darem uma relaxada'

Presidente da República deu entrevista coletiva, neste domingo, na porta do Palácio da Alvorada. Ele voltou a defender que o Brasil não pode parar

O presidente da República, Jair Bolsonaro (Sem partido) citou a proibição do acesso à praia em Santos para criticar as medidas tomadas por governos estaduais e municipais para impedir a aglomeração de pessoas e reduzir o processo de disseminação do coronavírus (Covid-19).

A fala foi dada durante uma entrevista coletiva, neste domingo (29), em frente ao Palácio da Alvorada. Bolsonaro comentou sobre um vídeo o qual teve acesso, onde uma pessoa é autuada por caminhar na faixa de areia do município.

"Vi um cara sendo autuado porque estava andando na praia de Santos. Vi no Rio também um senhor que foi algemado porque estava na praia. Não pode ir pra praia? A praia é o lugar mais saudável que tem aberto. Orientem a não ir, mas não exijam, não proíbam. Deixem eles darem uma relaxada. Ele em casa passa a ter problema", comentou o presidente

Praias em Santos permanecem vazias após as medidas de isolamento (Foto: Alexsander Ferraz/AT)

Ainda, segundo Bolsonaro, as pessoas estão ficando neuróticas por causa do Covid-19 e falou para os jornalistas irem até as casas psisquiátricas para confirem a situação.

Além disso, o presidente voltou a falar que o Brasil não pode parar, em uma crítica ao isolamento social existente em estados como São Paulo e Rio de Janeiro. "Se o Brasil parar, a gente vira uma Venezuela. Um terreno fértil para viver a Venezuela é a miséria, a pobreza... Essa política atual de fechar tudo, as consequências serão desastrosas", falou Bolsonaro.

Confira a entrevista coletiva do presidente Jair Bolsonaro

Tudo sobre: