EDIÇÃO DIGITAL

Terça-feira

11 de Agosto de 2020

Atividades remotas e atos restritos celebram os 257 anos de nascimento de José Bonifácio

Comemoração ao santista e Patriarca da Independência ocorreu neste sábado (13), envolvendo encontros remotos com alunos de escolas municipais de Santos

Treze de junho celebra o nascimento de um dos mais ilustres santistas: José Bonifácio de Andrada e Silva (1763-1838). Para marcar os 257 anos do personagem central que auxiliou nos desdobramentos para a Independência do Brasil (1822), escolas municipais de Santos promoveram atividades para refletir sobre a biografia do mais icônicos dos irmãos Andradas. Um solenidade restrita também ocorreu no Pantheon dos Andradas, no Centro Histórico, na manhã deste sábado (13).

Apesar do isolamento social, a data não passou batida. Cenário diferente dos anos anteriores, ocasião em que Santos é elevada à Capital do Estado de São Paulo, por força de uma lei estadual. A importância histórica e política do personagem santista foi destacada pelo prefeito Paulo Alexandre Barbosa (PSDB). Ele depositou flores ao lado do mausoléu, junto ao guarda municipal José Carlos Soares de Menezes. 

“Os ideais de José Bonifácio, um santista à frente de seu tempo, servem de exemplo e inspiração às futuras gerações, principalmente nos dias de hoje, nesses tempos sombrios em que pessoas protestam no mundo contra o racismo e voltamos a discutir fortemente esse tema após a morte do americano George Floyd”, diz o prefeito.

Barbosa destacou ainda que o mundo celebra os valores de Bonifácio, como a luta pela igualdade. “De tempos em tempos é preciso relembrá-los para aplicarmos no dia a dia”. O toque de silêncio ficou a cargo do soldado da Polícia Militar, Alysson Serafim Gonçalves, da Banda Regimental de Música do Comando de Policiamento do Interior (CPI-6). A solenidade teve apoio da Secretaria de Cultura (Secult).

Diferente de outros anos, acesso ao mausoléu foi restrita (Anderson Bianchi/PMS)

 

Estudantes

Na rede municipal de ensino, a celebração, contudo, ocorreu de forma diferente neste ano. Os encontros e debates na manhã deste sábado (13) deram-se de forma remota, devido as regras de isolamento social para evitar a disseminação do novo coronavírus. Os alunos santistas fizeram pesquisas, assistiram e produziram vídeos e textos. 

A estudante Maylin Chueng Cavalcanti do Nascimento, 9º ano, da unidade Edméa  Ladevig (Gonzaga), gravou um vídeo. “Muito legal realizar esta atividade. É importante que as pessoas saibam de um patriarca que fez grande diferença em nosso País. Acho interessante passar esta informação para as pessoas”, disse.  

O trabalho foi feito a partir da orientação do professor de História Luiz Antonio  Canuto, segundo o qual é essencial que os alunos se apropriem da história da Cidade e da região em que vivem.

“José Bonifácio é um filho de Santos e figura importante no contexto nacional. Há dois anos que, neste período, levo as turmas na Praça da Independência e explico  sobre esta parte da trajetória do Brasil. Desta vez não foi possível, mas fizemos as atividades do mesmo jeito. Mandei um texto sobre o assunto e incentivei a busca por mais conhecimento”.

Outro exemplo veio da unidade Avelino da Paz Vieira (Vila Nova). O educador Lucas Onofre foi o responsável por auxiliar os estudantes. “Para explicar a proposta aos alunos, gravei um vídeo contando sobre a data e quem foi José Bonifácio, também pedi que pesquisassem um pouco mais para facilitar na produção da atividade”.  Ele ressaltou a comemoração promove nos alunos conhecimento sobre o País e as pessoas que tiveram relevância no passado.    

Lavínia Nóbrega Bezerra, 9º, da escola Avelino, escreveu um acróstico (escrita feita a partir das letras iniciais de palavras, formando versos, no sentido vertical).  “Eu pesquisei bastante para fazer o trabalho. Acredito que é importante sabermos sobre a nossa história”.  

A ação foi proposta e coordenada pela Seção de Projetos Educacionais Especiais da Secretaria de Educação, com a supervisão da professora responsável pelos projetos de História da secretaria, Adriana Negreiros. Para ela, José Bonifácio foi um homem revolucionário. “Conhecer sua história, valorizar sua luta, nos faz pensar no Brasil que almejamos para o futuro”. 

Quem foi? 

José Bonifácio de Andrada e Silva nasceu em 13 de junho, vindo de uma família próspeda da Vila de Santos, então Capitania de São Paulo. Ele entrou para a história como um dos Patriarca da Independência da América Latina, por ter participado ativamente do processo de independência brasileira ( junto à princesa Leopoldina e o Dom Pedro I).

Contudo, a biografia do iliustre santista supera a faceta política. Adolescente, ele foi estudar na Europa e percorreu diversos países, aprendendo sobre ideias liberais, sobre mineralogia, meio ambiente, letras, entre outros conhecimentos.

Ao retornar ao Brasil, José Bonifácio trazia ideias revolucionárias para a época: acreditava que somente a abolição da escravatura poderia levar o País ao desenvolvimento e que negros e indígenas deveriam ser integrados à sociedade. 

Exemplo disso foi que ao voltar a Santos libertou os homens escravizados da fazenda da sua família, na região do Outeirinhos, nas proximidades do hoje Terminal de Passageiros. 

Também é considerado um dos precursores na defesa das florestas no território nacional. José Bonifácio era defensor de bandeiras ecológicas e alertou sobre a pesca indiscriminada das baleias no litoral. 

Tudo sobre: