Artista mostra talento e busca oportunidades fazendo esculturas de areia na praia de Santos

Isaac Couto é carioca e está em Santos desde o ano passado. Após ficar um período no Canal 2, seus trabalhos podem ser vistos na altura do Canal 4, na Praia do Embaré

Por: Cássio Lyra & De A Tribuna On-line &  -  16/02/19  -  09:40

Areia, água, ferramentas, duas mãos calejadas e um talento impressionante. Quem passa pela orla de Santos, na altura do Canal 4, logo no início dos tradicionais quiosques do CPE (Centro de Paqueras do Embaré), pode enxergar parte do resultado final de tudo isso. O responsável pelas esculturas de areia, que até o fim do ano passado podiam ser vistas no Canal 2, é Isaac Couto. Carioca, o artista busca recursos financeiros a partir de seus trabalhos para se manter na cidade e poder ser reconhecido por seu talento. Ele utiliza a areia do desassoreamento dos canais de Santos para criar os mais variados desenhos e figuras.


Quem é da região pode não conhecer a longa história de vida de Isaac. No entanto, o artista de 46 anos tem um grande currículo envolvendo as praias cariocas. Após um banho de mar, ao retornar para a areia, o escultor observou uma imagem e, a partir dela, fez seu primeiro trabalho.


"Nunca tinha feito uma escultura. Era nos anos 90. Saí do mar, vi um casal deitado na areia e aquilo me chamou atenção. Na hora, ajoelhei e comecei a mexer na areia para reproduzir essa cena. De repente, quando olhei, várias pessoas estavam em volta acompanhando. O pessoal do salvamento até achou que alguém tinha se afogado", relembra Isaac. Por essa primeira escultura, o artista ganhou US$ 400 de um empresário japonês, que estava no local e pediu para tirar fotos para uma revista cultural local.


Isaac veio para Santos no início do ano passado, mas, na ocasião, segundo ele, o tempo ficou chuvoso por cinco dias e não conseguiu fazer nenhuma obra. De volta desde o fim de 2018, após não ter encontrado emprego e na esperança de ganhar recursos para se manter na cidade e ajudar sua filha, que mora em Mogi Mirim, Isaac iniciou seus trabalhos na praia do Canal 2, com a areia retirada dos canais.


Isaac começou a fazer as primeiras esculturas na altura do Canal 2
Isaac começou a fazer as primeiras esculturas na altura do Canal 2   Foto: Fabiano Ignácio/Arquivo pessoal

"Reparei um monte de areia na praia, sem ninguém mexer. E lá ficou por uns três dias. Comprei alguns materiais para poder começar a fazer as esculturas", relata. Cerca de dois meses depois, o artista, agora, está no Canal 4. "O pessoal da prefeitura, que viraram meus amigos agora, sempre quando vai despejar areia traz até aqui para eu poder trabalhar".


Mas, mesmo com tanto esforço, trabalho e criatividade, Isaac encontra muitas dificuldades. Preocupado com o que podem fazer com suas obras, o artista fica 24 horas ao lado do monte de areia, com medo que estraguem ou furtem seus materiais. "Não posso sair daqui. Acontece que pessoas em situação de rua acabam ficando aqui, podem estragar, mexer, levar meus materiais, e acabam se passando por mim quando alguma pessoa passa", conta. Isaac diz que sempre conta com um 'troco' para poder se alimentar e adquirir mais materiais para futuras esculturas.


Flamenguista e 'menino do Rio', Isaac enxerga sua estadia na cidade como uma grande oportunidade. Segundo ele, Santos oferece ainda mais desafios para ele conquistar as pessoas e apoio, seja de órgãos públicos ou privados. Além disso, segundo o artista, a cidade tem um tipo de areia que faz com que seu trabalho fique ainda melhor.


"Tenho como objetivo continuar em Santos. Tenho grandes coisas na minha cabeça, e queria ter a oportunidade de fazer aqui. É um lugar onde posso aperfeiçoar meu trabalho. A areia é ótima para fazer detalhes, rostos de pessoas. É um lugar para desafios, e eu quero isso, sei que sou capaz disso".


Quem passa pela orla na altura do Canal 4 pode encontrar esculturas do artista carioca
Quem passa pela orla na altura do Canal 4 pode encontrar esculturas do artista carioca   Foto: Cássio Lyra/AT

Apoio


Fabiano Ignácio, fotógrafo santista, passeava de bicicleta pela orla quando reparou um dos primeiros castelos feitos por Isaac. Poucos dias depois, em novo passeio de bicicleta, mais castelos estavam ali, e o fotógrafo foi atrás da pessoa responsável. Após conhecer o escultor e saber de sua história, Fabiano tem ajudado com a parte da divulgação dos trabalhos de Isaac.


"De início, quando fui chegar perto da escultura do castelo e vi o Isaac dormindo, achei que fosse um morador de rua. Ele se apresentou e, depois, fui para casa saber mais dele. Procurei e fiquei impressionado com o talento dele, as obras. Agora, estamos fazendo esse trabalho de divulgação, para que as pessoas conheçam o trabalho e ele consiga algum tipo de apoio", conta.


Fabiano conheceu Isaac após reparar nas esculturas na praia enquanto passava de bicicleta pela orla
Fabiano conheceu Isaac após reparar nas esculturas na praia enquanto passava de bicicleta pela orla   Foto: Fabiano Ignácio/Arquivo pessoal

A ideia de Isaac é conseguir fundos a partir de seus trabalhos com areia, mas nem sempre há garantia de retorno financeiro para o artista. Emocionado, ele fez um apelo. "Sou órfão desde os 11 anos. Eu gosto de trabalhar. Trabalho certo, para mim, é aquele em que eu posso ganhar meu dinheiro de forma digna, para sobreviver, ajudar minha filha e pagar minhas contas. Sou pedreiro, faço trabalhos em construção, cozinheiro, trabalhei em barraca de lanches no Rio, pizzaiolo. O que tiver para fazer, eu faço. E o que eu não souber, aprendo rápido", conta.


No que diz respeito aos seus futuros trabalhos, ideias é que não faltam. Segundo Isaac, até a época do carnaval, ele tem três homenagens a pessoas que considera referência: Chico Anysio, Michael Jackson e Ayrton Senna. "Quero fazer esculturas desses três. Chico é um gênio do humor. Michael, rei do pop, da música, e o Ayrton, rei do esporte. Quero fazer essa homenagem aos três".


O artista busca apoio seja da Prefeitura de Santos ou de empresas privadas que queiram utilizar esculturas de areia para algum tipo de serviço cultural.


Artista diz que areia de Santos é melhor para fazer suas esculturas
Artista diz que areia de Santos é melhor para fazer suas esculturas   Foto: Cássio Lyra/AT

Esculturas famosas


Enquanto no Rio de Janeiro, Isaac teve seu trabalho reconhecido mundialmente. Uma escultura do Papa Bento XVI foi divulgada no site oficial do Vaticano, enquanto que a reprodução do logo do Rolling Stones foi divulgada e apreciada por membros da banda.


O carioca também participou, em 2004, da exposição 'Tudo é Brasil, nada é Brasil', no Paço Imperial do Rio de Janeiro, a convite do então diretor Lauro Cavalcante. Isaac também fez uma intervenção no Museu de Arte Moderna (MAM) do Rio de Janeiro, a convite do artista alemão Roberto Cabolti. E não parou por aí.


"Guardo com muito carinho quando participei da novela 'Florisbella', da TV Bandeirantes. Estava na praia da Barra da Tijuca, e montaram uma tenda por 12 dias para fazer a gravação de uma escultura minha, de um palácio que tinha relação com a história, até contracenei", lembra.


Confira outras esculturas feitas por Isaac:


  Foto: Fabiano Ignácio/Arquivo pessoal

  Foto: Fabiano Ignácio/Arquivo pessoal

  Foto: Arquivo pessoal

  Foto: Arquivo pessoal

  Foto: Arquivo pessoal

  Foto: Arquivo pessoal

Logo A Tribuna