EDIÇÃO DIGITAL

Segunda-feira

22 de Julho de 2019

Aposentada aguarda remédio para tratar enfisema pulmonar há seis meses

Medicamento seria disponibilizado no AME do bairro Aparecida, em Santos

Uma aposentada tem enfrentado problemas para conseguir seu medicamento em Santos. Há seis meses, a paciente Maria das Dores Guimarães, de 80 anos, não consegue retirar um remédio para tratamento de doenças pulmonares no Ambulatório Médico de Especialidades (AME) do bairro Aparecida. Funcionários da unidade afirmam que a medicação não chegou ao posto.

As visitas ao AME Aparecida já se tornaram rotina na vida do aposentado Joaquim Augusto Pereira Guimarães, de 82 anos, marido de Maria das Dores. Todas as semanas, Guimarães procura a unidade para tentar conseguir o medicamento Seretide, usado para tratar o enfisema pulmonar da esposa. “É muito difícil, sou aposentado e o remédio custa mais de R$ 120. Procuro o AME direto, mas não consigo essa ajuda”, explica.

A medicação deve ser tomada duas vezes ao dia pela aposentada, para tratar os problemas respiratórios causados pela doença. Além disso, ela concilia o tratamento com outro medicamento, e faz uso de remédios para combater a depressão. “Ficar sem uma previsão é muito difícil. Ela tem por direito receber a medicação, mas toda vez que é agendada a retirada da medicação, ele não está nos estoques”, desabafa Guimarães.

Em nota, o Departamento Regional de Saúde (DRS) da Baixada Santista informa que está em andamento a nova compra da medicação, e que a previsão de entrega indicada pelo fornecedor é ainda nesse mês. Além disso, esclarece que foi necessário fazer mais uma aquisição, porque o último pregão foi “fracassado”, ou seja, as empresas estabeleceram valores acima do mercado.