Amigas de Santos curtem a 3ª idade com passeios, viagens e lições para gerações: 'Amizade dá força'

Batizado de As Poderosas, grupo combate desafios, celebra vitórias e viaja junto pelo menos uma vez por ano

Por: Ana Vitória Bueno - Especial para A Tribuna  -  31/10/22  -  08:14
No mês passado, As Poderosas, viajaram até Maceió (AL) para comemorar o aniversário de duas delas
No mês passado, As Poderosas, viajaram até Maceió (AL) para comemorar o aniversário de duas delas   Foto: Matheus Tagé/AT

Quando se fala em uma reunião de um grupo de amigas com idades entre 67 e 86 anos, muitos podem imaginar que o bate-papo seja regado a chá, café, bolos, biscoitos e um clima bem tranquilo, no conforto do lar. Contudo, um grupo de santistas não dá bola para estereótipos, usando e abusando da diversão e da irreverência. No mês passado, essas idosas, autointituladas As Poderosas, viajaram até Maceió (AL) para comemorar longe de casa o aniversário de duas delas e celebrar cada momento da vida.


Clique, assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe centenas de benefícios!


A viagem envolvendo as dez amigas teve como pano de fundo o aniversário de Yara de Almeida, que fez 81 anos, e Yvone Zogaib, que completou 87. Com quase nove décadas bem vividas, Yvone se orgulha da longevidade e de como conseguiu lidar com perdas e a superação de um linfoma, há três anos, sem nunca perder a alegria de viver. Filha de pai sírio e mãe libanesa, nasceu em Santos, tem três filhos, seis netos e três bisnetos. Ficou viúva em 2016, após 61 anos casada.


Sempre extrovertida, alegre e com espírito de líder, Yvone foi dona de um ateliê em Santos, que funcionou durante 28 anos. Hoje, o local é sede de um lar residencial para idosos. Com a partida do marido, precisou se adaptar e lidar com a ausência do companheiro de vida — a história deles teve início quando ainda eram adolescentes, aos 16 anos de idade.


Com o incentivo dos filhos, Yvone passou a frequentar grupos de encontro e ter mais contato com algumas pessoas. A partir desse momento, laços de amizade se criaram e acabaram fortalecidos, grandes parceiras entraram em sua vida e, em meio a risadas e tantas histórias, surgiu uma viagem de navio que, no final de 2016, representou um divisor de águas.


Elas estavam reunidas na casa de uma das amigas, Elisabeth Antoniette, que teve a ideia de criar um grupo no WhatsApp para facilitar o contato. Logo, ele recebeu o nome de As Poderosas, conforme sugerido por outra da turma, Sônia Alberto. A escolha teve relação com a idade, pois, de forma espirituosa, elas se consideravam poderosas por arriscarem viajar sem a companhia de parentes e na terceira idade.


Logo, essas santistas decidiram passar o Réveillon na Bahia, com uma parada no Rio de Janeiro. A empolgação foi tanta que mandaram confeccionar camisetas com o nome do grupo no WhatsApp. E foi assim que as 14 amigas embarcaram no cruzeiro, fazendo sucesso por onde passavam. Desde então, viajam juntas ao menos uma vez por ano. Outras integrantes vão surgindo, não necessariamente no grupo de mensagens, mas em festas, encontros, passeios etc.


“A união e a amizade dão a força para continuarmos vivendo bem, sem sentir os anos passarem”, diz Beth Antoniette.


Somente nesse ano, já estiveram em Itu, Serra Negra e Guarujá. Além dos variados destinos, também jogam tranca, fazem aula de pilates, natação, dançam, vão a jantares, almoços, museus em São Paulo, teatros e ainda participam de ações beneficentes.


Superações e alegria
Essa jornada inspiradora não significa que os problemas passam longe da vida delas. Na caminhada de Yvone, por exemplo, dificuldades também se apresentaram. Em 2019, aos 84 anos, foi diagnosticada com um linfoma de Hodgkin. Precisou se submeter a 11 sessões de quimioterapia, que deram resultado. Ela acredita que a amizade a ajudou muito. “O grupo foi fundamental para eu superar as perdas e na minha cura.”


Yvone acredita que, apesar das limitações físicas devido ao avanço do tempo, sempre se dá um jeito para tudo. Dirigir, por exemplo, é algo que ela deixou de fazer há algum tempo, mas nada de desanimar. “Nada que um táxi e um Uber não resolva. Ou que uma amiga não resolva também, é só passar pra me buscar”, diz, aos risos.


Ela quer chegar mais longe para curtir os filhos, netos e bisnetos, que são os grandes presentes dela. Aproveita até para dar um breve conselho às novas gerações. “Aos que querem ter filhos, é preciso muito cuidado com os pequenos, colocar regras, cuidar bem dos que estão vindo, pois serão os frutos do que plantamos.”


Em relação aos aprendizados desses 87 anos, Yvone reflete: “A vida vale a pena, apesar das coisinhas aqui ou ali. E a forma como eu vivo é boa demais... Estou vivendo uma velhice muito legal!”. As Poderosas retornaram de Maceió ainda mais vibrantes, cheias de histórias para contar, belas recordações e muito a viver.


A Tribuna dá início, hoje, à série Idosos Inspiradores, com a publicação de matérias sobre pessoas que encaram a longevidade de forma positiva, sem perder a alegria de viver. O objetivo é dar um novo sentido ao termo idoso na sociedade, já que idade não precisa ser impeditivo para uma vida inspiradora, com recomeços e novas realizações.


Logo A Tribuna
Newsletter