Santos registra protestos contra o presidente Jair Bolsonaro nesta sexta-feira

"Panelaço" foi mobilizado pelas redes sociais para protestar contra o governo federal e os problemas enfrentados em Amazonas devido a pandemia de covid-19

Moradores de Santos realizaram um "panelaço", na noite desta sexta-feira (15), em protesto contra o presidente da República, Jair Bolsonaro, e os problemas enfrentados em Amazonas devido a pandemia de covid-19.

Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!

O prosteto ganhou força nas redes sociais e recebeu apoio de famosos, como o apresentador de televisão Luciano Huck. ATribuna.com.br recebeu vídeos com manifestações em Santos nos bairros Boqueirão, Pompéia e Campo Grande. Também houveram relatos de protestos em outros locais da cidade, como no Gonzaga.

Na manhã desta sexta-feira, em conversa com apoiadores, Bolsonaro declarou que "o problema em Manaus é terrível. Fizemos a nossa parte, com recursos e meios". 

O presidente da República foi alvo de críticas do governador de São Paulo, João Doria (PSDB). Durante entrevista coletiva, o tucano responsabilizou o governo federal, Bolsonaro e o Ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, pelo colapso da saúde pública na capital do Amazonas, Manaus. Segundo Doria, "Manaus é resultado da política caótica da saúde pública do governo federal".

"Não é razoável imaginar que uma situação de caos como vive a capital manauara seja debitada na conta de um prefeito ou de um governador. Temos um governo federal para quê? Temos um Ministério da Saúde para quê? Para acusar prefeitos e governadores ou para agir em defesa e proteção da saúde e da vida de todos os brasileiros em qualquer parte do País?", afirmou Doria. "Tenho a impressão que o governo Bolsonaro gosta do cheiro da morte, e não de celebrar a vida, pois se quisesse celebrar a vida, já teria contribuído com o Estado do Amazonas", completou.

Mais tarde, o presidente reagiu a declarações de autoridades que o responsabilizam pela crise causada pela pandemia de covid-19 no País. Em entrevista ao apresentador José Luis Datena, da TV Band, o presidente chamou Doria de "moleque", e disse que ele se aliou ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), para o tirar do cargo.

"Eles querem essa cadeira (de presidente) para roubar, para fazer o que sempre fizeram. Estamos dois anos sem corrupção, isso incomoda Maia e Doria", afirmou Bolsonaro. "Esse inferno que querem impor na minha vida não vai colar. E eu vou continuar fazendo meu trabalho. Não tem do que me acusar. Tem 40 a 50 processos de impeachment, não valem nada."

No total são 208.291 mortes registradas e 8.394.253 pessoas contaminadas no Brasil, segundo o balanço mais recente do consórcio de imprensa formado por Estadão, G1, O Globo, Extra, Folha e UOL em parceria com 27 secretarias estaduais de Saúde.

*com informações do Estadão Conteúdo

Tudo sobre: