Prefeituras da Baixada Santista orientam queixas em caso de 'falsa vacinação'

Familiares podem filmar procedimento e casos suspeitos de falsa aplicação devem ser informados na hora

As prefeituras da Baixada Santista não impedem que familiares de idosos filmem a aplicação das vacinas contra o coronavírus e orientam paraque qualquer indício de irregularidade seja informado imediatamente aos responsáveis no local da imunização.  

Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!

No último dia 12 a filha de uma idosa de 87 anos, de Praia Grande, registrou em vídeo o que teria sido uma falsa vacinação. A Prefeitura afirmou que abriu um processo administrativo e que ainda investiga o caso. O profissional que atendeu a idosa é um aluno de enfermagem conveniado ao Município. 

Segundo a Administração de Praia Grande, quem nota algo errado deve relatar a situação na hora. Já Guarujá diz que orienta os profissionais de enfermagem aa apresentarem o “antes e depois” da vacinação ao idoso e ao acompanhante, o mesmo que faz São Vicente.  

Cubatão afirma que todos os profissionais que estão à frente das salas de vacina são capacitados e possuem experiência necessária para a prática. Enquanto Santos explica que realizou processo seletivo para a contratação de 179 profissionais exclusivamente para a vacinação. “Além da análise do currículo, todos precisaram comprovar a experiência informada e passaram por capacitação”.  

Itanhaém. Mongaguá, Peruíbe e Bertioga também orientam a formalização de queixa caso seja notado algum problema na vacinação, mas ressaltam que as equipes são qualificadas para o trabalho.  

Conselho 

O Conselho Regional de Enfermagem do Estado (Coren-SP) diz, em nota, que se um profissional é denunciado é aberta uma sindicância para investigação, que seguirá sob sigilo processual, previsto em lei. Todo documento referente ao assunto será anexado aos autos para ser apreciado. 

“Após a averiguação dos fatos, se forem constatados indícios de infração ética pelo Coren-SP, será instaurado um processo ético-profissional. O profissional envolvido será notificado para manifestar a sua versão do fato, garantido o direito de defesa. As penalidades previstas na Lei 5.905/73, em caso de confirmação da infração são: advertência, multa, censura, suspensão temporária do exercício profissional ou cassação do exercício profissional”, afirma o Conselho.  

Qualquer pessoa que julgue ter presenciado falha, erro ou mau atendimento, seja por parte de profissionais de enfermagem, seja por parte de instituições de saúde no que diz respeito ao atendimento e cuidados da equipe de enfermagem, pode formular denúncias ao Coren-SP, por qualquer um dos canais de comunicação indicados no site: https://portal.coren-sp.gov.br. 

“Cabe ressaltar a importância de não generalizar negativamente a categoria, formada por 540 mil profissionais no estado, que arriscam diariamente suas vidas na linha de frente do combate à pandemia. É preciso encarar os fatos com lucidez e imparcialidade, ter cautela em relação às fake news e a movimentos que buscam comprometer a credibilidade dos planos de imunização e, acima de tudo, valorizar o papel da enfermagem na luta contra a Covid-19", diz o Coren-SP. 

Tudo sobre: