Logo A Tribuna
ASSINE
Icone usuario ENTRAR
CLUBE IMPRESSO ACERVO ASSINANTE

Moradora de Praia Grande junta forças para abrir novo restaurante após incêndio: 'Mais que um sonho'

Mayara Alves Silva perdeu sua nova forma de sustento e agora procura maneiras para se reerguer

Por: Carlos da Hora  -  02/02/21  -  20:05
Local foi completamente destruído pelo incêndio
Local foi completamente destruído pelo incêndio   Foto: Arquivo Pessoal

Procurando maneiras para se sustentar durante a pandemia, a moradora de Praia Grande, Mayara Alves Silva decidiu abrir um restaurante na cidade. Contudo, um incêndio no pequeno empreendimento acabou tirando sua única fonte de renda.


Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!


Em conversa com ATribuna.com.br nesta terça-feira (2), ela conta sobre toda a correria para abrir o restaurante. "Fui manicure durante 8 anos, mas durante a pandemia com todos os salões fechados e depois com horário reduzido, tive de procurar outra forma de sustento". A ideia de se aventurar veio por conta de sua mãe, que já trabalhava produzindo marmitas.


O sonho estava dando muito certo, até que um incêndio, ocorrido no meio de Janeiro, destruiu completamente o local. "Para cinco meses de vendas, estávamos indo muito bem".


"Eu estava começando a cozinhar as coisas para o dia quando escutei um forte barulho, na hora eu vi que a mangueira do gás havia soltado". Em questão de minutos o restaurante foi tomado pelo fogo. Segundo Mayara, o incidente acabou destruindo todos os móveis e pertences que estavam no local.


Momento em que os bombeiros realizam os trabalhos finais para conter as chamas
Momento em que os bombeiros realizam os trabalhos finais para conter as chamas   Foto: Reprodução/Boca no Trombone PG

Para a cozinheira de 30 anos, o acidente acabou tirando sua principal forma de sustento. "As entregas de comida também ajudam, mas o que realmente estava dando certo era o local, muitas pessoas ia diariamente lá para comer", revelou.


Sonho


Perguntada se era o seu sonho conseguir voltar a ativa, a mulher de 30 anos revelou que é mais que isso. "Eu nem imaginava em trabalhar com comida, mas hoje é mais do que meu sonho, é minha forma de viver".


Agora, Mayara está contando com ajuda de amigos para tentar retornar aos trabalhos. Móveis e dinheiro já foram doados, ainda assim, a proprietária precisa de mais ajuda para conseguir reabrir um novo ponto.


"Já tenho tudo esquematizado, pretendo abrir outro restaurante bem próximo ao que pegou fogo", a moradora de Praia Grande ainda não possui a quantia suficiente para o aluguel inicial do novo espaço e para adquirir novos alimentos e ferramentas. Por isso, ela decidiu abrir uma vaquinha online. Interessados em ajudar podem saber mais através deste link.


Logo A Tribuna