Participação feminina bate recorde no colegiado de vereadores da Baixada Santista

Mulheres ocupam cinco dos 12 cargos executivos da Diretoria do colegiado

O número de mulheres eleitas para a atual legislatura nas câmaras municipais da Baixada Santista aumentou 70% em relação ao pleito de 2016 — saltando de sete para 12. O crescimento refletiu na composição da diretoria da União dos Vereadores da Baixada Santista (Uvebs), no qual as parlamentares ocupam cinco dos 12 cargos executivos do colegiado local. 

Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!

Segundo a entidade, o dado representa um recorde histórico no colegiado, que completou dez anos de existência em 2020. Enquanto na região, as mulheres representam menos de 9% dos 136 vereadores, na entidade, a força feminina está presente em 40% dos cargos mais altos.    

As vereadoras que compõem a nova diretoria da Uvebs são: Audrey Kleys (vice-presidente, Progressistas/Santos); Sirana (2ª vice-presidente, PTB/Guarujá); Renata Zabeu (2ª Secretária e membro do Conselho Consultivo, especialista em direito da criança e do adolescente, DEM/Praia Grande), Jaque Barbosa (diretora de Comunicação, PSD, Cubatão); e Renata Barreira (diretora de Defesa dos Interesses da Mulher, PSDB/Bertioga).   

Para o presidente da entidade, vereador Roberto Andrade e Silva, o Betinho, apesar da representatividade ser de 9% na região, o colegiado teve bom senso e equilíbrio ao montar a diretoria, contemplando a forte participação feminina. “Isto fortalece a entidade, pelo fato de as mulheres terem uma percepção maior da sociedade e de seus desafios, agindo com sensibilidade e determinação. Além disso, elas representam a maioria da população da Baixada, que é feminina. Estou muito confiante e empolgado com a contribuição que elas trarão a este mandato”, disse. 

A vice-presidente Audrey Kleys está no segundo mandato como vereadora e participa da Uvebs desde 2018. Para ela, o maior benefício da inclusão feminina é a soma de habilidades e a união em prol da Baixada. “A maior participação das mulheres transforma tudo e todos. Somaremos ainda mais os saberes e experiências. Política se faz com escuta, persistência e paciência, características que reunimos e trabalhamos no cotidiano. Temos especificidades do universo feminino que ainda precisam ser exploradas na política. Quando cuidamos de uma mulher, zelamos por toda uma sociedade. Mulheres e homens lado a lado em todos os espaços”, comentou. 

A estreante Renata Zabeu está no primeiro mandato como vereadora e já faz parte da diretoria da Uvebs. “O lugar da mulher é onde ela quiser. Esse aumento na participação representa a força da mulher, não só na política, mas em todas as áreas da sociedade. Como membro da Uvebs, quero auxiliar na causa da criança e do adolescente. Já atuei como conselheira tutelar e acredito em um trabalho metropolitano nesta área”, finalizou.  

Cenário da Mulher 

Santos e Praia Grande são as cidades que elegeram o maior número absoluto de mulheres para o Legislativo: três cada. Bertioga (2), Peruíbe (2), Cubatão (1) e Guarujá (1) também contam com cadeiras femininas. Apenas Itanhaém, Mongaguá e São Vicente não elegeram mulheres. De acordo com dados do TSE, nas câmaras dos 5570 municípios do Brasil, o percentual de mulheres vereadoras chega a 16%. 

A entidade  

Criada em 2010 para congregar os vereadores das nove cidades da Baixada Santista — Bertioga, Cubatão, Guarujá, Itanhaém, Mongaguá, Praia Grande, Peruíbe, Santos, São Vicente — a União dos Vereadores da Baixada Santista (Uvebs) representa os 136 vereadores, que atuam pela Região — localizada no Litoral de São Paulo — com mais de 1,8 milhão de habitantes. 

Tudo sobre: