Novo golpe atinge beneficiários de saque emergencial do FGTS; saiba como se precaver

Em Santos, há pelo menos três casos de pessoas que ficaram sem o benefício

O golpe do saque emergencial do FGTS começa a fazer vítimas em Santos. Estelionatários criam conta social falsa para ter acesso aos R$1.045,00 de trabalhadores. Já há, pelo menos, três casos na Cidade. Especialistas afirmam que fraudes semelhantes vêm ocorrendo em todo o País e a recomendação é: cuidado com seus dados e com o que acessa nas redes sociais.

Em um dos casos, a assistente administrativo Irene Silva Aguiar, 35 anos, conta que descobriu o golpe por acaso. Ela foi verificar o extrato do FGTS e percebeu que o dinheiro havia saído da conta sem que tivesse feito qualquer pedido.

Segundo ela, era exatamente o valor do saque emergencial (R$ 1.045,00). “Eu tinha conhecimento de que esse valor seria liberado para a conta e retornaria, caso não fosse sacado, mas achei estranho”.

Para verificar a situação, Irene tentou baixar o aplicativo Caixa Tem, destinado ao saque emergencial. “Mas constava que eu já tinha cadastro. Então fui até a agência para trocar o e-mail que estava lá, que não era o meu”.

Saques

No banco, descobriu que os bandidos fizeram duas transferências – uma de R$ 445,00 e outra de R$ 600,00) – para pagar boletos da PagSeguro. “Não tenho ideia de como conseguiram meus dados. Eu pensei, inicialmente, que o dinheiro iria para a minha conta da Caixa, mas não foi o que descobri no banco”.

Irene foi à Caixa reclamar e teve que entrar com uma “contestação” na esperança de recuperar o dinheiro perdido. “Eles vão me dar uma resposta em dez dias e me orientaram a registrar um boletim de ocorrência, o que vou fazer também”, acrescenta.

Muita atenção

Especialistas afirmam que é preciso redobrar os cuidados, principalmente em tempos de pandemia do novo coronavírs, quando o uso da internet e das redes sociais têm se tornado algo bastante corriqueiro na vida das pessoas.

O coordenador do curso de Defesa Cibernética da Fiap On, Henrique Poyatos, destaca ainda que há muitas informações que são facilmente encontradas no mundo digital. No caso da Caixa Tem, por exemplo, são solicitados dados como nome, CPF, data de nascimento e CEP, que serão confrontados com o cadastro da Caixa. 

“O problema é que esses dados são facilmente obtidos pela internet com uma pesquisa bem elaborada no Google e nas redes sociais. Então o falsário vai lá, dá uma vasculhada na internet e dependendo do correntista, ele consegue”.

Fique atento também a pedidos de repasse de códigos que chegam por mensagem. Muitas vezes, os estelionatários conseguem os dados e precisam de um código de verificação. 

“Daí o golpista liga para a vítima, diz que é de uma empresa qualquer, conta uma história e envia um código de cinco dígitos para ela confirmar. Com isso, vai ter acesso à senha do beneficiário”, avisa Poyatos.

Outro cuidado refere-se a dados guardados em celular e links recebidos por SMS ou pelo WhatsApp. “O principal fator de ataque são ferramentas de comunicação e mídia social, acessando links maliciosos. Existem quadrilhas especializadas nisso. Elas jogam centenas, milhares de ataques e se tiver retorno de 1% já é lucro para elas”, explica o diretor da Kroll no Brasil, especialista em segurança cibernética, Walmir Freitas.

Procon

O Procon Santos tem mais duas reclamações relacionadas ao saque emergencial do FGTS e outra sobre saque indevido, porém relacionado ao auxílio emergencial. De acordo com o coordenador da instituição, Rafael Quaresma diz que há responsabilidade dos bancos nessas situações. 

De acordo com ele, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) já tem entendimento sumulado no sentido de que a responsabilidade das instituições financeiras é objetiva, ou seja, não precisa provar a culpa do banco. 

“Nesse caso, me parece que há inclusive a existência de culpa na modalidade omissão, porque a Caixa foi negligente em se certificar da veracidade das informações prestadas. Tanto que um terceiro se passou pela vítima e abriu a conta e recebeu o benefício”.

Fique atento

Muito cuidado ao clicar em links compartilhados no WhatsApp ou nas redes sociais. Desconfie sempre. E, claro, não repasse a outras pessoas.

Fique atento a mensagens que chegam com cara de urgência. Faça hoje ou sua conta será cancelada. Somente hoje será liberado o benefício. Última oportunidade para atualizar eu dados. Enfim, quase sempre há cheiro de golpe escondido por trás desses textos. 

Outra dica: certifique-se que o site por trás de mensagem que chegam pelas redes sociais ou SMS são realmente oficiais. 

Vale ressaltar que bancos e outras instituições não enviam mensagens pedindo confirmações ou solicitando dados de clientes. Portanto, não preencha cadastro ou outros formulários recebidos via sites ou redes sociais.

No caso do saque emergencial do FGTS e do auxílio emergencial. Você é quem fará o pedido baixando aplicativos nas lojas oficiais do fabricante do seu celular.

Muito cuidado também com seus dados. Evite deixá-los expostos em redes sociais, por exemplo. Isso facilita a vida dos bandidos.

Não use programas piratas. eles podem ser uma porta aberta para estelionatários. E tenha sempre um antivírus instalado - e atualizado - no computador ou celular.

Tudo sobre: