EDIÇÃO DIGITAL

Quinta-feira

13 de Agosto de 2020

Mais de 25 mil veículos são barrados em bloqueios na Baixada Santista durante pandemia

Guarujá é a cidade com regras mais rígidas e barrou a maior parte dos turistas desde final de março, quando começou o isolamento social

Bloqueios sanitários impediram a entrada de mais de 25 mil veículos na região em quase três meses. A medida foi adotada visando evitar a vinda de turistas, manter o isolamento social e barrar o avanço dos casos do novo coronavírus na Baixada Santista.

Guarujá foi o Município que adotou ações mais rígidas, chegando a impedir a entrada de 24,8 mil veículos entre os dias 22 de março e 7 de junho - data do último balanço.

Os bloqueios funcionam 24 horas e estão montados tanto nas entradas do Município e nas saídas das travessias de balsas de Santos e Bertioga. As medidas são intensificadas aos finais de semana e feriados.

Quem se recusa retornar está sujeito a ter o veículo guinchado e pode até acabar parando na delegacia, explica o diretor de trânsito, Alexandre Cabanas Vasquez.

“Estamos impedindo o turista de um dia, aquele que quer passar um final de semana, de vir para Guarujá. A gente sabe que o pessoal quer curtir a praia, mas essa não é a hora. E, com isso, dimunui a chance de o vírus vir de fora e entrar na Cidade. Esse é um dos maiores objetivos do bloqueio”.

O acesso é livre somente para quem apresenta comprovante de residência ou atue em atividades essenciais. 

Mais cidades

A Prefeitura de São Vicente também realiza bloqueios, mas visa apenas à orientação dos motoristas. Não há impedimento para a entrada na Cidade. Eles ocorrem nos acessos ao Município, nos quilômetros 65 e 66 da Rodovia dos Imigrantes.

Desde março, foram 17 operações, principalmente nos feriados e finais de semana, e os agentes conseguiram convencer 70 motoristas a retornar para suas cidades de origem.

Em Bertioga, é feito um controle de acesso nos feriados. As ações acontecem em locais e horários considerados estratégicos. Porém, as abordagens são feitas com objetivo de orientar e conscientizar quem vem de fora.

Cubatão não faz mais bloqueios. Praia Grande não proíbe entrada de turistas. O Município faz fiscalização, orienta e coleta dados como, por exemplo, se há idosos e o estado de saúde dos ocupantes do veículo.

Santos realiza barreiras sanitárias na entrada da Cidade em caráter permanente. Mas não há proibição para o acesso ao Município. Os motoristas recebem orientações sobre as regras de quarentena, uso obrigatório de máscaras e informações sobre fechamento de praias, comércio e equipamentos públicos.

Das 12,6 mil abordagens feitas, 306 veículos optaram pelo retorno à cidade de origem.

Avaliação

Os bloqueios, neste momento em que as cidades começa a reabrir as atividades, na avaliação do infectologista Evaldo Stanislau, têm mais um valor pedagógico do que de contenção do vírus.

“Do ponto de vista da circulação viral, não me parece que faça mais sentido. Ainda mais com a flexibilização que está havendo, em que as autoridades vão em sentido oposto à recomendação dos médicos, que é ainda manter um rigor. Fica contraditório. Do ponto de vista pedagógico, com a mensagem que é ficar em casa, tem uma utilidade”.

Tudo sobre: