EDIÇÃO DIGITAL

Segunda-feira

20 de Janeiro de 2020

Lote de pentavalente recebido é insuficiente para as cidades da região

Distribuição da vacina enfrenta problemas em todo o País, segundo o Ministério da Saúde

Os postos de saúde da região receberam nesta semana mais doses da vacina pentavalente, cuja distribuição às unidades enfrenta problemas em todo o País desde o ano passado. Apesar da chegada do medicamento, aplicado em recém-nascidos aos dois, quatro e seis meses de vida, os municípios afirmam que a medida é insuficiente. Na última quinta-feira, foram distribuídas 1,7 milhão de doses aos estados.

O Governo Federal admite a dificuldade na entrega das doses. A justificativa é de que lotes do insumo, produzido no exterior, foram reprovados no controle de qualidade de julho de 2019.

A pentavalente é fundamental aos bebês, uma vez que previne difteria, tétano, coqueluche, hepatite B e doenças causadas por Haemophilus influenzae tipo B.

Vacinação

Os municípios da Baixada Santista confirmaram a chegada do medicamento e a retomada da imunização entre esta quarta-feira (15) e a próxima segunda (20) . Exceto Santos e Guarujá, que receberam 1.500 e 2.500 doses, respectivamente, as demais cidades não souberam informar ou ainda não sabem quantas vacinas vão receber do Grupo de Vigilância Epidemio-lógica do Estado de São Paulo.

As prefeituras, porém, compartilham de um mesmo sentimento: os novos lotes são insuficientes. Santos destacou que o abastecimento das policlínicas tem sido gradativo e, até amanhã, todas as unidades estarão com medicamentos. 

“Precisamos de 1.200 doses por mês e temos recebido quantidade inferior a este número, o que nos leva a ter atualmente, no Município, cerca de 10 mil doses em atraso da vacina pentavalente”, calcula o chefe em substituição do Departamento de Vigilância em Saúde de Santos, Alex Charleaux Amorim.
Mongaguá disse que recebeu “uma remessa limitada de pentavalente, que atenderá por algumas semanas a demanda do Município”.

A Prefeitura de Guarujá informou que as 2.500 doses recebidas serão destinadas às crianças agendadas. Os pais estão sendo comunicados por telefone ou agente comunitário de saúde do bairro onde moram. 

Em nota enviada para A Tribuna, o Município destaca que, no ano passado, recebeu “apenas oito mil doses da pentavalente, quando deveria ter recebido, aproximadamente, 17 mil”. A Administração Municipal orienta aos pais que façam o agendamento nas unidades de saúde para que as crianças possam receber a vacina. 

Tudo sobre: