EDIÇÃO DIGITAL

Quinta-feira

6 de Agosto de 2020

Investimentos: Governo do Estado de São Paulo projetará a Baixada Santista ao exterior

Região fará parte de uma agenda internacional montada pelo Governo do Estado para atração de investimentos externos

O Governo do Estado vem trabalhando uma agenda internacional para buscar investimentos no pós-pandemia. Como o período ainda inspira cuidados e distanciamento para evitar a propagação do coronavírus, as ações iniciais serão preparativas, com o objetivo de reforçar o que São Paulo pode oferecer. A Baixada Santista, inclusive, é citada com um dos atrativos para a captação desses novos empreendimentos e recursos. 

Em conversa com A Tribuna, o secretário de Relações Internacionais do Estado, Júlio Serson, ressaltou por diversas vezes o potencial turístico da Baixada Santista, mas não se ateve somente a esse segmento. “A possibilidade de gerar negócios (na região) é muito forte, não tenho dúvida”. 

Entre os pontos destacados por Serson, a região se destaca pelo Porto, Polo Industrial e pela logística. A proximidade com a Capital, segundo ele, não só facilita o trânsito de mercadorias e produtos, mas pode ser uma opção de base, moradia e fomentar outros segmentos, como a rede hoteleira e o setor imobiliário. 

“(O setor imobiliário) deve crescer muito em Santos e ao redor (nas demais cidades). A proximidade com São Paulo ajuda e a estrada é boa. Hoje, as pessoas não têm as cidades da Baixada Santista só como uma segunda residência, mas também como primeira”, destaca. 

Preparativos

O “SP Global Metings”, marcará o processo de retomada dessa agenda que prevê a captação de recursos de fora. O projeto consiste em uma série de lives com temas sobre o País e o Estado, com convidados nacionais e estrangeiros. Esses encontros virtuais visam preparar o terreno, se fortalecer para dar sequência às investidas por novos acordos e parcerias. 

“A ideia é já começar a criar um clima favorável para prepara o ambiente e começarmos a correr atrás. Realmente, o governador João Doria (PSDB) não para. Ele quer resultados logo para São Paulo”. A primeira live, inclusive, será nesta terça-feira (14), às 17 horas, com o ex-ministro Celso Lafer, sobre a importância das relações internacionais num mundo pós-pandemia.

“Como as viagens não serão possíveis ainda nesse primeiro momento, até janeiro do ano que vem, provavelmente, estaremos com um trabalho intenso (para conversar sobre investimentos), agora que as pessoas já têm um pouco de cabeça para pensar nisso”, diz Serson, que inclusive já tem reuniões marcadas com cônsules da União Europeia. 

“Esses cônsules representam os interesses econômicos dos países deles aqui, e das empresas. Vamos começar a preparar isso. Ano que vem estão previstas missões comerciais à Espanha, Alemanha e Itália”. 

Retomada

O secretário aponta que já existe uma agenda prevista para viagens internacionais em 2021. “O governador já fez uma programação. Poderia fazer (as reuniões) pelo Zoom, Skype, mas não é a mesma coisa”. 

Ele conta que no começo desse ano, antes da pandemia, o Estado inaugurou um escritório de representação em Dubai para tratar dos interesses comerciais e a atração de investimentos, assim como esteve representado no Foro Econômico Mundial de Davos, na Suíça, onde ocorreram reuniões com cerca de 20 grandes empresas.

“Mais da metade poderia se transformar em temas concretos. Tudo estava bem encaminhado, mas houve essa parada por causa do vírus. Agora é reativar, porque temos que sair na frente”.

Segundo Serson, a concorrência é muito grande. “O Estado de São Paulo concorre com a Argentina, Tóquio, Caribe, México... Enfim, temos que sair na frente. Essas oportunidades vão voltar, talvez não tão rapidamente como gostaríamos, mas vamos trabalhas para isso”. 

O secretário complementa: “A ideia do governador é manter o trabalho ativo que nós tivemos já no primeiro ano de governo. Em 2019, com mais de 10 missões internacionais conseguimos mais de 14 bilhões em novos investimentos aqui em São Paulo”.  

Prioridades

Entre os investimentos tidos como prioritários na agenda do Governo do Estado, estão parceiros voltados para o agronegócio, turismo, a indústria de alimentos, além de novas oportunidades e projetos de privatização e parcerias. 

Serson ressalta que o secretário de Projetos, Orçamento e Gestão do Estado, Mauro Ricardo Machado Costas, e o vice-governador, Rodrigo Garcia, têm mais de 20 projetos de privatizações “que governador como caixeiro viajante, no bom sentido, vai levar de baixo do braço para vender lá fora”. 

“Temos um Estado muito consolidado, com logística muito boa, com estradas, aeroportos e toda condição de oferecer mão de obra qualificada. Aqui em São Paulo temos a tradição de respeitar os contratos e normas jurídicas”, finalizou.

Tudo sobre: