Usuários do transporte público de Guarujá protestam contra aumento do valor da passagem

Grupos de pessoas se reuniram em diversos pontos da cidade, para evitar aglomeração

Uma manifestação contra o aumento do valor das passagens dos ônibus em Guarujá acontece nesta sexta-feira (15). Organizado por populares, o ato acontece em diversos pontos da cidade, para evitar a formação de aglomeração, com faixas e cartazes cobrando a prefeitura e a empresa City sobre o aumento.

Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!

Os protestos acontecem nos terminais de Vicente de Carvalho e Ferry Boat, além dos pontos finais de Morrinhos, Perequê e Vila Zilda. A Guarda Civil Municipal compareceu ao terminal do Ferry Boat para acompanhar a situação e evitar aglomeração.

O organizador do protesto, Edinaldo Silva, diz que convocou a manifestação para pressionar as autoridades a reverem o valor da passagem, que foi de R$ 3,90 para R$ 4,50 a quem usa cartão-transporte e R$ 5,00 no pagamento em dinheiro. “Somos contra o aumento abusivo da passagem dos ônibus, que aumentou também a idade para gratuidade dos idosos, de 60 para 65 anos. Aquele prefeito que falou que cuidava da cidade, que cuidava do povo, aumentou a passagem para cinco reais”.

A manifestação deve se repetir neste sábado (16), na Praça 14 Bis, em Guarujá.

Moradores protestaram contra o aumento da tarifa (Foto: Arquivo pessoal/Edinaldo Silva)

Resposta

A Prefeitura diz que o mecanismo utilizado para conceder a gratuidade, um decreto de 2015, era ilegal. Para os cartões já carregados com créditos, a tarifa segue em R$ 3,90 até 1º de fevereiro. O valor de R$ 4,50 é para créditos adquiridos desde a última segunda-feira (11).

A Administração Municipal justifica que a tarifa zerada ao público entre 60 e 64 anos foi estabelecida por decreto irregular, em 2015. Segundo o secretário municipal de Defesa e Convivência Social, Luiz Cláudio Venâncio Alves, a medida precisaria de um projeto de lei aprovado na Câmara Municipal para vigorar.

O erro foi corrigido depois que o governador João Doria (PSDB) anunciou o fim do transporte gratuito em linhas intermunicipais que circulam pela Grande São Paulo - contudo, o benefício continua valendo, pois a 3ª Vara da Fazenda Pública Central de São Paulo concedeu liminar suspendendo o decreto.

Tudo sobre: