Turista que arrancou placa de trânsito em Guarujá admite embriaguez: ''Não lembro''

Engenheiro agrônomo Francisco William dos Santos Zera é de Batatais (SP) e passou o feriado prolongado na região

Por: De A Tribuna On-line  -  23/11/18  -  17:55
Homens foram flagrados tentando arrancar placa de trânsito
Homens foram flagrados tentando arrancar placa de trânsito   Foto: Divulgação

O engenheiro agrônomo Francisco William dos Santos Zera, de 27 anos, um dos envolvidos no episódio de vandalismo e destruição de placa de sinalizaçãono feriado prolongado, na Praia de Pitangueiras, em Guarujá, afirmou, nesta sexta-feira (23), que não se lembra de ter retirado o objeto do lugar e admitiu que estava embriagado.


Turista de Batatais (SP), Zera procurou A Tribuna On-line para falar sobre o caso e considerou o que ocorreu uma ''atitude impensada''. Ele contou que estava junto com um amigo, que é da mesma cidade, o empresário Gustavo Guicardi Valenciano, de 41 anos.


"Estou envergonhado. Estava bêbado e realmente não lembro do que aconteceu, cometi aquela atitude sem pensar. A culpa foi toda nossa", disse Zera.


O engenheiro agrônomo explicou que tudo aconteceu depois de beber durante o dia inteiro no calçadão da orla da Praia de Pitangueiras, ao som de música alta. Segundo ele, no fim da tarde, ele foi ao supermercado comprar cervejas e, quando retornou à praia, agentes da Guarda Civil Municipal (GCM) já estavam apreendendo a aparelhagem de som, por conta da reincidente desobediência dos turistas em não abaixarem o volume da música.


Assim que os guardas deixaram o local da ocorrência, os turistas subiram em um poste e retiraram uma placa de sinalização de trânsito. Durante a ação, eles foram abordados em flagrante, novamente, pela GCM. Os turistas foram obrigados a recolocar a placa no lugar, mas de acordo com Zera, não foi possível arrumar o estrago naquele momento porque era preciso um alicate para prender o objeto no poste.


Na delegacia, o engenheiro e seu colega foram autuados por dano qualificado e receberam multa no valor de R$ 2 mil cada, montante que, segundo o agrônomo, foi pago no mesmo instante. Depois disso, ele e o empresário Gustavo Guicardi foram liberados.


A placa danificada foi apreendida pelos guardas municipais e a Prefeitura já realizou a sua substituição. Oempresário Gustavo Guicardi Valenciano foi procurado pelaReportagem, mas ainda não comentou sua participação no caso.



Logo A Tribuna