EDIÇÃO DIGITAL

Quarta-feira

20 de Novembro de 2019

Tartaruga de couro resgatada com ferimentos morre em Guarujá

Animal morreu devido a complicações do tratamento no último sábado (12). Espécie está ameaçada de extinção

A tartaruga de couro (Dermochelys coriacea) que foi encontrada encalhada na praia da Enseada no dia 6 morreu no último sábado (12), informou o Instituto Gremar, onde o animal passava por tratamento. Uma necrópsia foi feita para descobrir as causas da morte, mas o resultado ainda não foi divulgado.

A espécie da tartaruga, que está ameaçada de extinção, foi encontrada com um equipamento de pesca preso à uma de suas nadadeiras. O petrecho foi retirado por equipes da Polícia Militar Ambiental e do Corpo de Bombeiros, que localizou o animal na faixa de areia da praia.

Desde o dia em que foi resgatada, a tartaruga passava por tratamento adequado na base do Gremar. No entanto, o animal sofreu complicações, não resistiu e morreu. O réptil era uma fêmea subadulta e apresentava escoriações pelo corpo, além de sinais de afogamento.

Segundo informou a organização, este foi o primeiro animal da espécie a ser resgatado pelo Gremar. A espécie está ameaçada de extinção devido ao aumento da captura acidental em atividades de pesca costeira, oceânica e de arrasto. Elas, costumeiramente, vivem nos oceanos e as fêmeas se deslocam próximo ao continente a cada dois ou três anos, apenas para desovar.

Projeto de Monitoramento de Praias

O Instituto Gremar é uma das instituições executoras do Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS), atividade desenvolvida para o atendimento de condicionante do licenciamento ambiental federal das atividades da Petrobras de produção e escoamento de petróleo e gás natural no Polo Pré-Sal da Bacia de Santos, conduzido pelo Ibama.

Tartaruga recebia tratamento na base do Instituto Gremar (Foto: Divulgação/Instituto Gremar)
Tudo sobre: