EDIÇÃO DIGITAL

Segunda-feira

13 de Julho de 2020

Pacientes esperam por mais de 3h por atendimento no Hospital Don Domênico em Guarujá

Crianças e idosos tiveram de aguardar o único plantonista do Pronto Socorro sem qualquer informação. Muitos foram embora

Uma nova técnica de atendimento médico está sendo realizada em Guarujá. Antes do paciente passar na consulta, a enfermagem já aplica a medicação. Pelo menos essa foi a alternativa para desaglomerar cerca de 15 pessoas que aguardavam por mais de 3h na sala de espera do Hospital Don Domenico, na tarde desta terça-feira (30).

Os pacientes foram transferidos para a sala de medicação, em um espaço pequeno e sem distanciamento social, ainda sem previsão de atendimento médico. Sequer havia cadeiras para que todos os acompanhantes pudessem sentar.

Na espera, havia crianças e idosos com senha preferencial. Um menino, que esperava em pé com a mãe, chorava enquanto aguardava para ser atendido. Uma senhora se desesperava, andando de um lado para o outro, com dores.

Outros pacientes, já cansados de tanta espera, foram embora sem receber atendimento. Alguns, antes disso, chegaram a pedir informação para funcionários a respeito da demora e até a reclamar.

Um senhor que estava com a cabeça ensanguentada teve de pedir ajuda para conseguir ser notado como atendimento preferencial, assim como um rapaz que chegou em uma cadeira de rodas. 

Questionado pela Reportagem, o médico de plantão disse que revezava com uma colega o atendimento no Pronto Socorro e no atendimento de pacientes Covid-19, que ficam em uma ala separada. Os dois trocavam de posto para atender toda a demanda nos dois setores.

“Não temos como ter previsão de atendimento em Pronto Socorro. São atendidas primeiro as emergências, os casos mais importantes”, disse ele, apesar de ninguém ter sido atendido no período de quase 3h em que a Reportagem esteve no local.

O álcool em gel é raridade pelos corredores. Só existe um na sala de espera e outro na entrada, perto do bebedouro.

“É um absurdo o que está acontecendo aqui. O hospital está mais bonito, arrumadinho, mas o péssimo atendimento continua o mesmo de sempre”, disse uma acompanhante, que prefere não se identificar.

No período em que ATribuna.com.br esteve no Hospital Don Domenico também não foi vista a higienização do local.

“Em pleno aniversário da Cidade acontece esse tipo de situação. Ainda há muito o que mudar, principalmente com relação à saúde. Em plena pandemia, não existe atendimento médico adequado e os pacientes ficam horas aglomerados em um hospital”, desabafou uma paciente que também não quis se identificar.

Resposta

Procurado, o Hospital Don Domenico diz que se adequou à pandemia, aumentando o número de dispenseres de álcool gel e sabão, reorientando os assentos da área de espera por atendimento, com distanciamento.

Informou ainda que a área de repouso conta com biombos entre as poltronas, ou seja não há mais pacientes do que locais para medicação. O tempo de espera por atendimento médico obedece o protocolo de classificação de risco x tempo de espera. Disse também que os de enfermagem não efetuam medicação sem prescrição médica.

 

Tudo sobre: