EDIÇÃO DIGITAL

Quinta-feira

6 de Agosto de 2020

Jovem de Guarujá cria canudos biodegradáveis e comestíveis com fibra de bananeira

Yasmim Souza, de 25 anos, é natural de Roraima e criou objetos após lei que proíbe a utilização de canudos plásticos ser sancionada na cidade

A preocupação ambiental serviu de motivação para que uma aluna de Guarujá se destacasse. Yasmim Souza, de 25 anos, foi responsável por criar um canudo biodegradável e comestível.

Recém-formada no curso técnico em química, a aluna da Escola Municipal (EM) Primeiro de Maio, de Vicente de Carvalho, criou o material após participar da Expo Ambiental, que tinha como objetivo incentivar que os alunos criassem projetos com ênfase ambiental. Ela foi escolhida como vencedora da feira.

Os primeiros itens criados pela aluna foram a bandeja e papel feitos com a fibra de bananeira e uma caixa com a fibra de buriti.

As bandejas possuem aroma cítrico e apresentam uma maior resistência do que as feitas de isopor. Além disso, os objetos são feitos com substâncias antibacterianas. De acordo com a criadora, eles se decompõem em até 32 dias. Já as caixas térmicas produzidas com talo de buriti levam 60 dias para se decompor após o descarte.

A ideia de criar canudos biodegradáveis que pudessem ser comestíveis surgiu após a lei que proíbe a utilização de canudos plásticos em Guarujá ser sancionada.

"Acho o canudo um item indispensável. Assim, se a pessoa não quiser comer, ele pode ser jogado e não se tornará um poluente", explica Yasmim.

A técnica em química ressalta que o canudo é feito a partir do material da bananeira, além de ter componentes nutritivos. Se descartado na natureza, ele se decompõe em até 15 dias e se torna adubo.

Mudança

Yasmim é natural da cidade de São João da Baliza, em Roraima. Moradora da região Norte até os 20 anos, a cabeleireira veio à Baixada Santista para dar continuidade aos estudos e a procura de uma melhor condição financeira. 

Aluna se destacou em Expo Ambiental onde projetos com enfoque ecológico foram apresentados (Foto: Divulgação/ Prefeitura de Guarujá)
Tudo sobre: