EDIÇÃO DIGITAL

Quinta-feira

6 de Agosto de 2020

Hospital de campanha de Guarujá atende 145 pacientes no 1º mês de operação

Equipamento exclusivo para tratamento da Covid-19 completa um mês nesta terça-feira (9), e é considerado essencial para o suporte à rede municipal durante a pandemia

No primeiro mês de operação, completo nesta terça-feira (9), o Hospital de Campanha de Guarujá auxiliou na recuperação de 51 pacientes com sintomas de Covid-19. No igual período, 43 pessoas perderam a luta contra o novo coronavírus, nas instalações erguidas no hangar da Base Aérea de Santos, em Vicente de Carvalho. A unidade emergencial fez, ao todo, 145 atendimentos, informa a prefeitura.

O hospital tem sido fundamental para dar suporte ao aumento da demanda na rede municipal durante a pandemia. O local conta com 47 pacientes em tratamento, send 36 em enfermaria e 11 em Unidades de Terapia Intensiva (UTIs). No total, há 70 leitos disponíveis, sendo 50 de enfermaria e outros 20 de UTI.  

A estimativa é de que foram utilizados, no primeiro mês, 59.691 itens, entre materiais e insumos, destaques para os 120 litros de álcool em gel e sabonete líquido para higienização, além de outros 95 litros de materiais de limpeza. Além disso, 25.307 medicamentos foram adquiridos.   

O Hospital de Campanha da Prefeitura – o único civil erguido dentro de uma base militar no Brasil – é gerido pela Organização Social Aceni, que já arcou, neste primeiro mês, com R$ 650 mil em materiais hospitalares e medicações.   

O complexo, composto por duas tendas, soma três mil metros quadrados e conta com mais de 260 profissionais de saúde, contratados especialmente para o atendimento emergencial. Todos os pacientes nele atendido são encaminhados pela rede municipal.   

O sistema conta com sistema de exaustão com filtragem, que expele na atmosfera o oxigênio potencialmente contaminado já devidamente tratado. O complexo tem, ainda, uma cozinha industrial; três farmácias; cabines de desinfecção por névoa de ozônio para profissionais; vestiários com armários individuais e refeitório para mais de 200 pessoas.  

Tecnologia 

Como as visitas no local não são permitidas, as famílias dos pacientes internados recebem notícias diariamente, por telefone. Há, ainda, outro procedimento diferenciado, que são as vídeochamadas, via tablets disponibilizados pela direção do hospital. “É um momento emocionante, em que os parentes recebem informações do quadro clínico e podem ver e falar com o familiar, quando isso é possível”, descreve o diretor da Aceni, Daniel Zeferino dos Santos Souza. 

Viabilização  

Para viabilizar o Hospital de Campanha de Guarujá, foram aplicados R$ 14,9 milhões, para 90 dias de funcionamento. Do valor total, R$ 3,2 milhões são do tesouro municipal, mais R$ 3,2 milhões enviados pelo Governo do Estado e a maior parte, R$ 8,5 milhões, fruto de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) firmado entre a Prefeitura de Guarujá e o Ministério Público (MP) de São Paulo, que permitiu, com a devida autorização do Conselho Municipal do Meio Ambiente (Comdema), a transferência de recursos do Fundo Municipal do Meio Ambiente para o Fundo Municipal de Saúde.  

Já estão inclusos no montante a aquisição de máquinas, equipamentos (também os respiradores), manutenção e os salários dos funcionários, como médicos e enfermeiros. Além disso, os maquinários adquiridos para os três meses de operação serão, posteriormente, incorporados ao patrimônio municipal e distribuídos nas unidades da rede municipal de saúde. 

Tudo sobre: