Guarujá registra queda de quase três vezes na taxa de internação por Covid-19

Poder Público sustenta que resultado se deve à adoção das medidas mais restritivas para contenção da disseminação da Covid-19 no final do ano passado

Em meio a escalada de novos casos gerados pela segunda onda, Guarujá registra redução de quase três vezes da taxa de internação por complicações de Covid-19 em leitos públicos da cidade. Também houve uma retração de 63% na média móvel de óbitos, informa a secretaria municipal de Saúde. 

Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!

A pasta credita o resultado à adoção das medidas mais restritivas para contenção da disseminação da Covid-19 no final do ano passado. Conforme dados divulgados pelo poder público, essas ações resultaram na queda de internação – que saiu da faixa próxima de 50% para 17% – e da média móvel de óbitos no último mês – diminuição de 1,57 para 0,57. 

O poder público destaca ter apertado o cerco no começo de dezembro, quando a Baixada Santista regrediu para a fase amarela do Plano São Paulo, do Governo do Estado. Gradualmente, o índice de ocupação de leitos foi o primeiro a sinalizar a melhora. 

 Nos primeiros dias de dezembro, a taxa de ocupação média era de 50% dos leitos. O número caiu até atingir seu menor patamar nos últimos meses, com apenas 17% de ocupação, na última segunda-feira (11).  

Isso se refletiu também no número de óbitos. A média móvel entre os dias 30 de novembro e 7 de dezembro era de 1,57, indo para 2,7 na semana seguinte e atingindo 3,4 na semana do dia 14 de dezembro. Nos últimos 14 dias, as médias foram 2,1 e 0,57, respectivamente.  

Sem relaxar  

De acordo com o secretário de Saúde, Vitor Hugo Canasiro, os números refletem as atitudes tomadas pela prefeitura em dezembro, quando havia uma tendência de alta nos números absolutos da pandemia.  

Ele alerta, porém, para a população não relaxar nos cuidados, fato ocorrido quando a Baixada Santista esteve na fase verde do plano estadual, e depois culminando com o aumento de casos, internações e óbitos, sendo necessária uma nova regressão.  

“Conseguimos atingir índices satisfatórios, semelhantes aos de quando estávamos na fase verde do Plano São Paulo. Termos o controle da pandemia é fundamental para todos os setores da sociedade civil. Por isso é fundamental que não relaxemos”, afirma o titular da Secretaria de Saúde (Sesau).  

Casos também desaceleram  

Na esteira da diminuição dos números de internações e óbitos, também estão os casos. A média móvel do último dia de novembro até os primeiros dias de dezembro do ano passado apontava para uma alta: 38,71. Os números foram um pouco mais altos na semana de 14 a 21 de dezembro, registrando 41,71 confirmações.  

A partir daí ocorreu a desaceleração, passando por 38,57 na semana do dia 21 a 28, caindo para 21,42 entre 28 e 4 de janeiro e chegando no menor patamar nos últimos sete dias (entre 04 e 11 de janeiro), com 17,57.   

O mais recente boletim epidemiológico da Cidade, divulgado na última terça-feira (12), mostra que o Município já teve 11.616 casos da covid-19, com 8.987 residentes curados e 532 óbitos.  

Tudo sobre: