EDIÇÃO DIGITAL

Terça-feira

11 de Agosto de 2020

Guarujá mantém apoio psicológico às famílias atingidas por tragédia e aos profissionais envolvidos

Psicólogos estão distribuídos em diversos locais. Coordenadora do grupo tem experiência em diversas tragédias, como a de Brumadinho, em 2019

Mais de 30 psicólogos, a maioria da ONG SOS Global e da Cruz Vermelha, realizam o acompanhamento psicológico às vítimas e aos profissionais envolvidos nos deslizamentos em Guarujá, que ocorreram devido às fortes chuvas que atingiram a região na semana passada.

Em plantões diários, os profissionais estão divididos entre as comunidades da Barreira do João Guarda, Escola Municipal Professora Dirce Valério e na Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) da Enseada. A equipe já prestou acolhimento no Morro do Macaco, na Escola Estadual Cora Coralina (Vila Edna), na Associação de Capoeira no Morro do Engenho, PAM da Rodoviária e também no cemitério na Vila Júlia.

Os profissionais fazem o acolhimento e aplicam técnicas de relaxamento nos profissionais que atuam na linha de frente, também, em trabalho desenvolvido na UPA da Enseada, Bombeiros Militares, Defesa Civil, entre outros pontos. Os psicólogos fazem plantões em locais fixos para acolher a livre demanda, e mantêm equipes volantes, que percorrem os locais com maior necessidade ou apontados pela prefeitura.

A coordenadora das operações tem experiência de outras tragédias, sendo uma das mais recentes em Brumadinho, em 2019. Sara Bittencourt já atuou, também, nas tragédias ocorridas em Itaóca (SP) e Cubatão, em 2013; Timor Leste e Indonésia, em 2014; Santana do Mundaú (AL), em 2013/2014/2015/2017; Suzano (SP), em 2019; e Iconha (ES), em 2020.

Ela também é membro da ONG SOS Global; do Núcleo de Intervenções Psicológicas em Emergências (IPE), pelo Instituto de psicologia Quatro Estações; do Laboratório de Estudos e Intervenções sobre o Luto (LELu) da PUC/SP; e professora da Escola FATE para formação de Bombeiro Civil.

Tudo sobre: