Guarujá libera a construção de 660 moradias no Cantagalo

Unidades fazem parte da segunda etapa do Projeto Enseada; empreendimentos atenderão famílias do próprio Cantagalo e da Vila Baiana

A Prefeitura de Guarujá emitiu os alvarás de construção de mais 660 unidades habitacionais. As novas moradias fazem parte da sequência do Projeto Enseada, empreendimento que atenderá 1.160 famílias que residem no Cantagalo e Vila Baiana, já cadastradas.  

Em 2018, foram entregues as primeiras 400 unidades do empreendimento. A obra é desenvolvida com recursos do Programa de Aceleração do Crescimento - (PAC 2) e de contrapartida municipal, com parceria do Ministério de Desenvolvimento Regional/Caixa Econômica Federal. As obras habitacionais são por meio do Programa Minha Casa Minha Vida (MCMV), da Secretaria de Estado da Habitação (CDHU e Casa Paulista) e Prefeitura de Guarujá, via Secretaria de Habitação (Sehab).  

Segundo a prefeitura, nos próximos meses serão construídas 240 das 660 unidades autorizadas. As demais serão contempladas em uma próxima fase, que para serem executadas, dependem da conclusão da preparação do terreno para receber as novas moradias. Isso porque ainda há construções habitadas no local.  

“Mesmo com todos os enfrentamentos vivenciados este ano, com a tragédia nos morros e a pandemia do novo coronavírus, a Administração Municipal, jamais se furtou a continuar buscando os investimentos necessários, para início ou retomada de obras habitacionais de interesse social. Oferecer moradia digna para centenas de famílias é algo fundamental para o desenvolvimento da Cidade”, afirma o titular da Sehab, Marcelo Mariano.  

Obras de infraestrutura 

Antes mesmo do início da construção dos novos apartamentos, a prefeitura já havia iniciado as obras da infraestrutura e urbanização no local. As intervenções incluem redes de água e esgotamento sanitário; drenagem; pavimentação; energização e iluminação pública. Já foram realizados serviços do trecho da Rua 118 até a Rua Leonor da Silva Quadros.  

Os recursos investidos nesta segunda fase do Cantagalo integram um pacote de recursos no valor de pouco mais de R$ 63 milhões, obtidos através da Caixa Econômica Federal, via Finisa – Financiamento à Infraestrutura e ao Saneamento.  

Parte deste valor – cerca de R$ 26,47 milhões - tem sido utilizado para obras de infraestrutura urbana e o restante para produção habitacional, como por exemplo, o Parque da Montanha, cujas primeiras 180 unidades estão sendo entregues.  

Tudo sobre: