EDIÇÃO DIGITAL

Segunda-feira

10 de Agosto de 2020

Guarujá: contrato com Gremar não é renovado

Espaço chegou a sediar as operações de reabilitação de animais marinhos e silvestres na Baixada Santista por sete anos

A Prefeitura de Guarujá não renovou o convênio que permitia a atuação do Instituto Gremar na Base Flutuante do Canal de Bertioga. Com isso, a instituição, fundada em 2004 e voltada à conservação marinha e costeira, será impactada em suas atividades de educação ambiental. 

Segundo a bióloga responsável pelo Gremar, Rosane Farah, a não renovação é uma surpresa. O espaço chegou a sediar as operações de reabilitação de animais marinhos e silvestres na Baixada Santista por sete anos. Mesmo com a inauguração do novo Centro de Reabilitação, na Praia do Tombo, em 2019, continuou a ser fundamental. 

Conforme Rosane, o local abrigava as atividades de pesquisa e educação ambiental. “Desenvolvemos parcerias com a área educacional e as crianças podiam visitar o espaço, algo importante porque a região é carente de locais como esse. Nosso trabalho de reabilitação de animais não faria sentido sem isso”. 

Rosane explica que no local havia salas que abordavam a fauna do manguezal, o ambiente marinho e costeiro e os impactos da poluição, além de uma área sobre a região e a importância da preservação ambiental. 

Adiamento

O fim do convênio, segundo o Gremar, também significa o adiamento da implantação do Projeto Estação Verde Mar, idealizado em parceria com a Secretaria de Educação e Esporte de Guarujá, com o apoio da Associação dos Amigos do Condomínio Iporanga. A proposta era transformar a base flutuante em um centro de educação ambiental estruturado.

Rosane explica que, hoje, não é possível remontar a estrutura em outro espaço. “Buscaremos parceiros, pois é uma ação de extrema importância”. 

Tudo sobre: