EDIÇÃO DIGITAL

Terça-feira

31 de Março de 2020

Com investimento de R$ 150 mi, Guarujá aposta em macrodrenagem para enfrentar chuvas

Segundo a prefeitura, obras beneficiarão, em especial, moradores do Santo Antônio e Santa Rosa

A Prefeitura de Guarujá acaba de lançar um projeto de macrodrenagem para diminuir os problemas causados pelas enchentes em decorrência das chuvas. A novidade prevê investimentos de mais de R$ 150 milhões, financiados na rede bancária. As obras vão beneficiar moradores dos bairros Santo Antônio e Santa Rosa, que enfrentam problemas crônicos de alagamentos durante os temporais.

“Vamos fazer no Santo Antônio piscinões com bombeamento para o estuário, porque não há capacidade de vazão no local. Algo semelhante ao que ocorre na Holanda”, informa o secretário de Planejamento e de Habitação da cidade, Marcelo Mariano.

Em Peruíbe, que também enfrentou problemas e viu 80 pessoas ficarem desabrigadas devido ao temporal da última segunda-feira (10), os trabalhos de limpeza e desassoreamento de valas e canais foram intensificados durante o verão.

Porém, a cidade enfrentou, em 72 horas, chuvas de 199,43 milímetros (mm) no Parque do Trevo, o mais atingido, enquanto a média histórica de fevereiro inteiro é de 270 mm no município.

Para a coordenadora do curso de Geografia da Universidade Metropolitana de Santos (Unimes), Técia Bérgamo, os problemas ocorridos por conta de temporais nas cidades, não somente na Baixada Santista, decorrem, na maioria dos casos, de reavaliação do uso do solo.

“A drenagem urbana está ineficiente. Muitas áreas de rios, córregos e mangues foram cobertas para a realização de pavimentação. Então, agora é fazer o contrário. As propostas devem conter planos de permeabilização e escoamento das águas. Mas são iniciativas de longo prazo, e é preciso haver também a sensibilização da população em relação ao descarte de lixo”.

Tudo sobre: