EDIÇÃO DIGITAL

Quinta-feira

6 de Agosto de 2020

Banco de Sangue de hospital de Guarujá sofre queda de 60% e segue com baixo estoque

Prefeitura afirma que a retração na quantidade de bolsas de sangue é consequência do medo causado pela pandemia do coronavírus

O Hospital Santo Amaro (HSA),em Guarujá, segue com a Campanha de Doação de Sangue no Município, cujas doações caíram mais de 60%. A Prefeitura afirma que a retração na quantidade de bolsas de sangue se dá pelo receio de contágio da Covid-19.

Os interessados em colaborar com a causa devem entrar em contato com o HSA pelo telefone (13) 3389-1515 para outras informações sobre condições e restrições; ou ir direto à unidade, localizada na Rua Quinto Bertoldi, 40 – Vila Maia, de segunda a sexta-feira, das 7 às 11 horas.

Ao todo, são distribuídas 30 senhas por dia, seguindo as determinações do Ministério da Saúde, referente a contingência da Covid-19. Os horários passaram a ser escalonados, sendo 10 por hora. Para doar, basta estar em boas condições de saúde, ter entre 18 e 67 anos, pesar no mínimo 50 kg, ter dormido ao menos 6 horas nas últimas 24 horas, estar alimentado e apresentar documento de identificação original com foto recente.

O Ministério da Saúde orienta a população que continue doando, visto que outras doenças graves continuam ocorrendo, como anemias crônicas, acidentes que causam hemorragias, complicações decorrentes da dengue, febre amarela, tratamento de câncer, etc.

A Prefeitura afirma que a doação de sangue é segura, não há riscos para quem doa. Os bancos de sangue estão disponibilizando condições de lavagem de mãos, uso de antissépticos, reduzindo o número de cadeiras nas salas de espera, distanciando as macas de coleta e o uso de máscaras é obrigatório. A higienização das áreas, instrumentos e superfícies também estão sendo intensificadas.

"A doação é um ato de amor ao próximo, altruístico e fundamental. Precisa ser entendido que o sangue é um produto que não pode ser adquirido a não ser pela doação. Os hospitais dependem disso para salvarem vidas. Ninguém está livre de necessitar de transfusão, seja por sofrer um acidente, passar por uma cirurgia ou outro procedimento médico. Por isso, é indispensável à conscientização e ajuda de todos", ressalta o médico hematologista, responsável pelo banco de sangue do HSA, Ronald Pallotta.

 

Tudo sobre: