EDIÇÃO DIGITAL

Quarta-feira

18 de Setembro de 2019

Greve geral tem baixa adesão na Baixada Santista na manhã desta sexta-feira

Cerca de 100 pessoas chegaram a bloquear a entrada de Santos, por uma hora, mas trânsito se normalizou aos poucos

A greve geral, convocada em protestos contra a reforma da Previdência, em defesa da aposentadoria e a favor da educação, teve baixa adesão durante a manhã da sexta-feira (14) na Baixada Santista. A expectativa era que a ação dos manifestantes causasse transtornos em pontos como a entrada de Santos e a divisa com São Vicente, na avenida da praia, o que não ocorreu.

Cerca de 100 pessoas, ligadas a Intersindical, chegaram a bloquear, por uma hora, a Avenida Martins Fontes, em Santos, nos dois sentidos. A interdição ocorreu entre às 5h e 6h. No entanto, após o grupo iniciar uma passeata, no sentido Centro, as vias foram, aos poucos, sendo liberadas para o tráfego de veículos. 

Durante a caminhada, por orientação da Polícia Militar, os manifestantes tiveram que disponibilizar uma faixa para o trânsito. Já a pista sentido São Vicente/Rodovia Anchieta foi liberada totalmente. Depois, o grupo seguiu para a Praça dos Andradas.

O Sindicato dos Petroleiros do Litoral Paulista (Sindipetro-LP) realizou bloqueios nas unidades da Petrobras na região para impedir a entrada de funcionários. "Ninguém entra nesta sexta-feira nas unidades operacionais da empresa na região", publicou o sindicato em sua página em uma rede social. Houve registros de trabalhadores em frente à sede da empresa, no Valongo, e na unidade da Transpetro, na Alemoa, ambas em Santos, além da Refinaria Presidente Bernardes (RPBC), em Cubatão.

O Porto de Santos não registrou, até o momento, nenhum tipo de manifestação.

Ações garantem ônibus na região

As prefeituras de Santos, Guarujá e Bertioga entraram com ações, junto ao Tribunal Regional do Trabalho, para garantir a manutenção do serviço de transporte público, bem como a Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos de São Paulo (EMTU/SP).

Em virtude disso, o Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários de Santos e Região (Sinrod) informou que o transporte coletivo de passageiros, de fretamento e também o de cargas funcionariam normalmente em Santos, Cubatão, Guarujá e demais cidades nesta sexta-feira.

De acordo com o presidente do sindicato, Valdir de Souza Pestana, a categoria está em plena campanha salarial, para renovação dos acordos e convenções coletivas em maio. Ele considerou também o recente relatório da reforma da Previdência, “que precisa ser mais bem estudado pelo movimento sindical”.

No entanto, o sindicato garantiu que participará da manifestação prevista para as 17h desta sexta-feira, na Estação da Cidadania, na esquina das avenidas Ana Costa e Francisco Glicério, em Santos.

A Viação Piracicabana informou a operação das linhas municipais de Santos sofreram atrasos durante a madrugada devido à grevistas que impediram a saída dos ônibus. A normalização do serviço começou às 6h. As linhas municipais de Praia Grande operam normalmente. A BR Mobilidade Baixada Santista ressaltou que as linhas intermunicipais e VLT também estão em funcionamento. 

Expectativa de crescimento à noite

A expectativa é que o movimento tenha uma maior adesão a partir das 17h, quando deve começar um ato contra a reforma da Previdência, em defesa da aposentadoria e a favor da educação. A concentração está marcada para a Estação da Cidadania, em Santos. A greve reúne cerca de 34 sindicatos, estudantes, classe trabalhadora, entre outros.