EDIÇÃO DIGITAL

Terça-feira

11 de Agosto de 2020

Governo de São Paulo deve arcar com 50% das obras na Ponte dos Barreiros, em São Vicente

Governador João Doria (PSDB), que esteve na região para acompanhar a partida entre Santos e Flamengo, disse que o estado vai avaliar a possibilidade de dividir os custos com a Prefeitura de São Vicente

O governo do estado de São Paulo deve dividir os custos de reforma da Ponte dos Barreiros com a Prefeitura de São Vicente. Governador João Doria (PSDB) falou sobre o problema durante visita neste domingo (8), a Vila Belmiro, em Santos, onde acompanhou a partida entre Santos e Flamengo, pela última rodada do Campeonato Brasileiro.

"Podemos avaliar, fazer o share como a gente diz, meio a meio. É razoável dada a circunstância, dada a emergência, dado também o fato de termos um verão que será o maior movimento de turismo da Baixada de todos os tempos. Vamos ter um movimento recorde de turismo aqui, Litoral Norte também, mesmo no Vale do Ribeira... As pessoas vão fazer os seus programas de viagem de verão no litoral de São Paulo. Importante estarmos preparados para isso também. Dada a circunstância, o governo do estado estaria disposto a ajudar com 50%", disse o tucano.

No entanto, o chefe do Executivo não poupou críticas ao prefeito de São Vicente, Pedro Gouvêa (MDB). Doria culpou o município pela má conservação da estrutura e disse que, agora, não adianta tentar transferir responsabilidades para o estado.

"Vamos deixar claro que a Ponte dos Barreiros é responsabilidade da Prefeitura de São Vicente. Não dá para empurrar problema. Quando tem problema, o prefeito empurra para o estado, para o Governo Federal. É responsabilidade do prefeito de São Vicente e da Prefeitura, que já deveria ter tomado medidas há muito tempo e não deixar chegar numa situação como essa, em prejuízo de milhares de pessoas que não estão conseguindo utilizar a ponte. Foi falta de responsabilidade e atitude da Prefeitura. O governo pode ajudar, mas a ponte pertence a Prefeitura. Ela tem que se mobilizar. Pode solicitar o apoio do estado, o estado vai ajudar, mas ela tem que fazer. Ela tem que investir também. É fácil jogar o problema para cima e dizer 'não é minha a responsabilidade'", comentou o governador.

Torcedor do Santos, João Doria foi a Vila Belmiro acompanhado pelo prefeito de Santos, Paulo Alexandre Barbosa (ao fundo) (Foto: Matheus Tagé/AT)

Segurança

João Doria também falou sobre medidas de segurança para a Baixada Santista. Segundo o tucano, drones irão auxiliar a Polícia na vigilância das estradas que integram o Sistema Anchieta-Imigrantes (SAI). Além disso, ele disse que irá exigir que a Ecovias, concessionária que administra o SAI, visualize o melhor os problemas relativos a segurança nas vias.

"Ela tem que captar imagens e compartilhar com a Polícia Militar, com a Polícia Rodoviária do estado de São Paulo. Já determinei, desde a semana retrasada, que houvesse um aumento do policiamento", ressaltou o governador, que também destacou a Operação Verão, que começa no dia 15 deste mês e segue até o fim de Fevereiro. 

Por fim, Doria anunciou que retornará a Baixada Santista na próxima semana, para a inauguração de um novo Batalhão da Polícia Militar (Baep), em Praia Grande.

"Bem equipado, com mais policiais, treinados pela Rota, com novos equipamentos. Com uma ação da polícia de drones também. Maior inteligência da Polícia para melhorar a qualidade da segurança pública em toda Baixada Santista", finalizou.

Batalhão da PM, em Praia Grande, deve ser inaugurado na próxima semana (Foto: Divulgação/Prefeitura de Praia Grande)
Tudo sobre: