Travessia de balsas tem segundo dia seguido de longas filas de espera

Duas balsas deixaram de operar durante a manhã e parte da tarde, e causaram transtornos em Santos e Guarujá

Por: De A Tribuna On-line  -  18/12/18  -  19:56

O drama do motorista que pretende uitilizar a travessia de balsas continua. Com até duas horas de espera, os usuários sofrem, pelo segundo dia seguido, com os problemas técnicos e burocráticos que impedem as oito embarcações de funcionarem plenamente.


Nesta terça-feira (18), outras duas balsas deixaram de funcionar. Por conta de reparos técnicos, a travessia Santos/Guarujá operou com apenas quatro ferryboats, sendo que apenas dois destes realizam o serviço exclusivo para veículos. Outras duas realizam o serviço misto, com carros, biclicletas e pedestres.


As baixas geraram mais transtornos a quem tentou chegar ao seu destino final. O site oficial da Dersa informou, por volta das 13h, que o tempo de espera era de 60 minutos em Santos e 50 em Guarujá. Entretanto, motoristas que estiveram do lado guarujaense reclamaram de estarem esperando mais de duas horas para a chegar à travessia.


Problemas com embarcações geraram transtorno para motoristas
Problemas com embarcações geraram transtorno para motoristas   Foto: Reprodução/ Dersa

Foi exatamente o que ocorreu com o aposentado Luis Aires, de 60 anos. O motorista precisou esperar mais de 120 minutos na fila para poder chegar a Santos. Ele tinha compromisso às 13h, mas por volta das 13h15 o usuário ainda estava aguardado para utilizar o serviço.


"É lamentável que este serviço esteja assim. A Dersa deveria se programar melhor para realizar seus reparos, porque, em pleno verão, prejudica o motorista". Por volta das 13h50, uma quinta embarcação voltou a operar.


O transtorno se estende há mais de um mês na travessia. As reclamações se intensificaram dias depois do feriado da Consciência Negra, no último dia 20 de novembro. Segundo a Dersa, algumas balsas apresentaram problemas técnicos devido à alta demanda de veículos que desceram para a Baixada Santista. Foram mais de 500 mil veículos, de acordo com a Ecovias.


Este já é o segundo dia seguido de longas filas nesta semana. Na tarde de segunda-feira (17), motoristas chegaram a ficar uma hora e meia esperando para poder utilizar o serviço de balsas. Na ocasião, uma balsa precisou passar por reparos, e outra passa por processo de renovação de documentação junto à Marinha e, por enquanto, não há previsão de quando volta a operar.


Além disso, a Dersa, por meio de nota, associou a longa espera, também, à temporada de férias, que aumenta o número de veículos que utilizam o serviço.


Visita técnica


Uma Comissão Especial de Vereadores (CEV) de Santos visitou a base da Dersa para realizar uma vistoria no local. O grupo foi criado exatamente para monitorar e buscar soluções para os impactos provocados pela travessia.


A equipe realizou vistoria nos locais, instalados em Guarujá, acompanhada pelo diretor de operações da empresa, Eduardo Di Gregório. Ele mostrou o trabalho de manutenção e de recuperação de peças das embarcações que é realizado no estaleiro. O diretor também falou do planejamento para a troca dos motores das balsas, o que, segundo ele, irá melhorar o serviço.


Um dos integrantes da comitiva, o vereador Sadao Nakai (PSDB), falou sobre os transtornos e afirmou. "O que não pode acontecer é a fila da balsa ocupar cada vez mais o espaço da cidade".


Por volta das 15h30, o tempo de espera era de 40 minutos dos dois lados da travessia. Caso o motorista não queira ficar na fila, pode utilizar a Rodovia Cônego Domênico Rangoni, a partir do entrocamento da Via Anchieta.


Tudo sobre:
Logo A Tribuna