Roubos caem 19,1% na Baixada Santista

Dados da SSP-SP comparam o período entre janeiro e novembro de 2017 e 2018

Por: Matheus Müller  -  22/12/18  -  20:10
Aumento de equipes nas ruas e ações estratégicas reduzem roubos
Aumento de equipes nas ruas e ações estratégicas reduzem roubos   Foto: Vanessa Rodrigues/AT

Os roubos na Baixada Santista caíram 19,1% no comparativo de janeiro a novembro entre 2017 e 2018. O dado interferiu diretamente no número de latrocínios (roubo seguido de morte), que registrou a maior queda: 42,1%. Foram 19 ocorrências no ano passado contra 11 em 2018. Os dados foram divulgados ontem pela Secretaria de Segurança Pública do Estado (SSP-SP).


Segundo o comandante da Polícia Militar na Baixada Santista e Vale do Ribeira (CPI-6), coronel Rogério Silva Pedro, o que mais impactou na redução dos índices foi a centralização do Batalhão de Ações Especiais da Polícia (Baep) no CPI-6.


“Conseguimos maximizar as atuações do Baep, que também teve aumento no número de equipes. Além disso, voltamos com a Força Tática em quatro cidades da região: Santos, Guarujá, São Vicente e Praia Grande”.


O coronel ressalta que Baep e Força tática têm como principal foco o combate ao roubo e roubo de veículos. O índice do primeiro, de acordo com ele, é o melhor dos últimos 10 anos, já o de automóveis é o menor desde 2011. Foram 1.758 casos esse ano contra 2.578 de 2017.


O furto de veículos também teve uma diminuição significativa, de 16,8%. Em Santos, município com o mais casos, a queda foi a mais expressiva: de 1.418 para 1.140.


Homicídios dolosos (quando há intenção de matar) e furto apresentaram 5,4% de redução. Apesar do percentual igual, os números são bastante distintos, com mais registros da segunda ocorrência.


Crescimento


O estupro apresentou crescimento. Na comparação com 2017, o aumento foi de 44,9%. Entretanto, o coronel Rogério Silva Pedro lembra que muitos desses crimes acontecem longe dos olhos da população, inclusive em casa. Isso dificulta a ação da polícia que conta com denúncias.


Para o coronel, uma medida auxiliaria na manutenção das quedas dos índices. “A expectativa é que, quem for preso continue preso. Isso vai ajudar muito na prevenção dos crimes. A polícia vem criando procedimentos, inserindo tecnologia e trabalhando forte para melhorar”.


Tudo sobre:
Logo A Tribuna
Newsletter