Página mobiliza internautas na busca por animais perdidos na Baixada Santista

Criada em 2013, a página 'Bicho Perdido Bicho Achado – Procure Aqui' conta com mais de 39 mil curtidas

Por: Verônica Sampaio & De A Tribuna On-line &  -  19/02/19  -  14:50
Gaya teve 11 filhotes. Todos eles foram vacinados, castrados e doados
Gaya teve 11 filhotes. Todos eles foram vacinados, castrados e doados   Foto: Reprodução/ Facebook

Ter um animal de estimação é algo que demanda cuidado, tempo e atenção. Qualquer descuido pode ser motivo para que eles fujam de casa e se percam nas ruas. Pensando nisso, foi criada a página no Facebook 'Bicho Perdido Bicho Achado – Procure Aqui', idealizada pelo vereador Benedito Furtado, jornalista, de 68 anos.


Atuando desde 2003 na causa animal, o vereador chamou sua assessoria e - depois de muita conversa sobre a situação dos animais que se perdem de suas famílias - resolveu criar um canal voltado a animais perdidos e achados na cidade de Santos. Tendo em vista o grande número de postagens que recebia em seu perfil pessoal, a página acabou virando um sucesso e abriu as postagens para todo Brasil e até outros países.


“Recebemos também muitos pedidos para adoção e doação de animais, e resolvemos criar outra fanpage direcionada só para isso. A Adoção e Doação – Procure aqui. Para dar conta da demanada, eu tenho auxílio da minha equipe de assessoria, Tânia, Daniel e Márcio”, diz Benedito à Tribuna On-line.


Criada em 2013, a intenção da página era concentrar as informações sobre animais perdidos e achados, facilitando assim o direcionamento das postagens para ver a felicidade dos reencontros. O abandono de animais também é uma constante na vida de quem defende a proteção animal.


“Temos uma grande quantidade de animais encontrados pela página, mas não nos preocupamos com números, e sim resultados para o bem-estar do animal. Existem casos que são resolvidos direto pela página e outros por meio de compartilhamentos das nossas publicações", afirma.


Benedito conta que em épocas de festas: Natal, Ano Novo, Carnaval, festas juninas, entre outras, por conta dos fogos de artifício, é mais comum que os animais fiquem assustados e fujam. Os bichinhos que não encontram seus donos geralmente ficam com as pessoas que os encontraram nas ruas ou são colocados para adoção.


O vereador diz que a página não recebe animais, mas divulga os casos. Em algumas situações, com filhotes e animais mais idosos, é solicitado ajuda de Ongs, autoridades locais e coordenadorias de proteção animal (quando existem) das cidades onde o bichinho foi encontrado. 


“Há casos, também, de donos que perderam seus animais e não desistem. Continuam pedindo a publicação, mesmo passando anos do sumiço do animal. Tem também aqueles que procuram a página na hora do aperto e depois nem avisam que o animal foi encontrado” comenta.


Quanto a ajuda que recebem, Benedito informa que em Santos, eles tem auxilio da ONG Defesa da Vida Animal e Codevida (SEMAM). Nas outras cidades, eles contam com autoridades locais envolvidas com a proteção animal. Além disso, o vereador revela que a página é acompanhada por vários protetores e eles ajudam muito quando os casos são publicados.


Gaya foi encontrada por Paulette. A cadela estava gestante e gerou 11 filhotes, todos foram adotados - incluindo a mãe
Gaya foi encontrada por Paulette. A cadela estava gestante e gerou 11 filhotes, todos foram adotados - incluindo a mãe   Foto: Reprodução/ Facebook

 


 


Paulette Zanotti dos Santos, de 68 anos, é um desses protetores. Ela conta que já resgatou mais de 43 animais, todos de rua e que já sofreram maus tratos. Disse ainda que abriga os bichinhos em seu quintal, pois conta com um espaço coberto. “Eu faço quarentena com os que precisam, levo na veterinária, entre outras coisas. Tanto fêmea quanto macho eu castro, vacino e vermifugo, deixo bem lindos e depois eu doo. Sempre acompanhei todas as minhas doações”, afirma.


A protetora Paulette comentou ainda sobre a importância da castração. Segundo ela, o abandono só vai acabar quando as crias indesejáveis acabarem. Por isso é necessário castrar, tanto machos quanto fêmeas. Ela disse que em Santos tem a Codevida, a DVA - que é do Benedito Furtado e sua esposa -, e outras clínicas a baixo custo. “Mas a população não se conscientiza que tem que castrar os animais, porque elas esquecem que os animais (machos e fêmeas) escapam e reproduzem filhotes. Aí nascem cinco, dez cachorrinhos e não tem lares para todos. Além disso, a castração evita uma série de doenças” explica.  


Rosangela Silva, de 48 anos, é uma das pessoas que teve seu cachorro perdido e foi beneficiada pela página. Ela conta que o seu marido estava arrumando o carro na frente de casa e deixou o portão aberto, então sua cadelinha fugiu. Eles procuraram por toda redondeza, mas não a encontraram.  Depois de alguns dias, a busca continuou pelas redes sociais, mas nada de achar a Maia.


Maia ficou seis meses desaparecida, antes de reencontrar sua família
Maia ficou seis meses desaparecida, antes de reencontrar sua família   Foto: Arquivo Pessoal/ Rosangela Silva

“Eu pedia a Deus para encontrar minha cachorra, pedia para ele trazer ela de volta. Porque é uma cachorra muito dócil, foi ela que nos adotou. Ela chegou aqui em casa deitando na frente do ventilador, dando amor para todos. Eu nunca perdi a esperança de reencontra-la” diz Rosângela, que encontrou seu pet por meio de um anúncio no facebook, após seis meses de procura.


"Eu estava em São José do Rio Preto quando vi um anúncio no Facebook e reconheci minha cadela imediatamente. Mandei uma mensagem para minha filha entrar em contato com a moça do anúncio e ir buscar minha cachorra, que estava em Santos. Eu agradeci muito a Deus por ter conseguido encontrar minha Maia” completa.


Logo A Tribuna