Operação Chuvas de Verão começa neste sábado na região

Planos preventivos de Defesa Civil visa evitar complicações com o aumento das chuvas

Por: Da Redação  -  01/12/18  -  09:42
Haverá reforço de vistorias em campo e observação de eventuais mudanças em encostas e áreas de risco
Haverá reforço de vistorias em campo e observação de eventuais mudanças em encostas e áreas de risco   Foto: Rogério Soares/AT

Foi dada a largada para o período em que as Prefeituras da Baixada Santista redobram a atenção para o clima e possíveis incidentes decorrentes dele na região. Neste sábado (1), começa a Operação Chuvas de Verão, que vai até 31 de março. Neste período, as equipes de Defesa Civil fazem o monitoramento ininterrupto dos índices pluviométricos (de chuva), reforçam as vistorias em campo e observam se há alterações nas encostas de morros e em áreas de risco.


“Agora, nós desencadeamos os planos preventivos de Defesa Civil (PPDC), que são uma ferramenta para que os gestores de segurança pública acompanhe e monitorem os fenômenos meteorológicos”, explica a secretária chefe da Casa Militar e coordenadora estadual de Proteção e Defesa Civil de São Paulo, coronel Helena dos Santos Reis. Ela esteve ontem em Santos para lançar a Operação Verão e comemorar os 30 anos de existência do PPDC.


Helena orienta a população a ficar atenta, principalmente, a áreas sujeitas a alagamentos e enxurradas. Para comunicações, a Defesa Civil tem o serviço gratuito de SMS, que alerta sobre chuva intensa. Para se cadastrar, basta enviar uma mensagem de texto com seu CEP para o número 40199.


Segundo a secretária, o fenômeno meteorológico El Niño deverá causar precipitações intensas. “Já tivemos um prenuncio de primavera com chuvas fortes”.


Para a coordenadora regional de Proteção e Defesa Civil, Regina Elsa Araújo, tanto turistas quanto moradores devem evitar se expor a riscos durante a chuva ou com a possibilidade de raios.


“Que fiquem atentos às variações climáticas, pois as previsões estão sendo atípicas e mudam várias vezes no mesmo dia. E saiam da água. Não quero que mais pessoas morram. Usufruam as belezas naturais das nossas praias, mas fiquem atentos”, salienta a coordenadora.


Logo A Tribuna