Gravação revela que médico ligado a Organizações Sociais pediu ajuda a irmão de Márcio França

Investigações que chegaram ao nome do ex-governador começaram faz dois anos

Por: Redação e TV Tribuna  -  07/01/22  -  11:13
Atualizado em 07/01/22 - 14:37
As investigações que chegaram até França começaram faz dois anos
As investigações que chegaram até França começaram faz dois anos   Foto: Vanessa Rodrigues/AT

O médico Cláudio Luiz França Gomes, irmão do ex-governador Márcio França (PSB), manteve contatos telefônicos com outro profissional que tem ligações com organizações sociais (OSs). Em gravações feitas pela Polícia Civil com autorização judicial, evidencia-se o interesse do médico Franklin Cangussu Sampaio em firmar contrato com o Ambulatório Médico de Especialidades (AME) de Santos.


Clique, assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe centenas de benefícios!


Esse é um dos resultados das investigações que chegaram ao nome do ex-governador e ex-prefeito de São Vicente, iniciadas há dois anos em Araçatuba, no Interior do Estado. Márcio governou o Estado entre abril e dezembro de 2018, em substituição a Geraldo Alckmin, que deixou o cargo para disputar a Presidência da República. A apuração policial também aponta que Sampaio desviou dinheiro por meio de empresas em seu nome.


Tentativa
Em um telefonema interceptado, Sampaio procura Cláudio e pergunta se ele conhece a pessoa responsável pelo Departamento Regional de Saúde da Baixada Santista (DRS-4), vinculado à Secretaria de Saúde do Estado. Cláudio França responde que talvez não fosse possível firmar o entendimento desejado pelo profissional.


“Eu acordei hoje e lembrei de uma coisa, cara, e que talvez seja um marco aí pra gente. Segura pelo menos Santos, entendeu? É a DRS de Santos, sabe? Lembrei de você, se conhece quem é o DRS de Santos, se é alguém ligado à gente. Se não for, aí, vamos deixar na mão de Deus, ver o que ele acha, se sobra alguma coisinha”, sugere Franklin Sampaio.


“Oi, Franklin, bom dia. Então, quem é diretor da DRS aqui é a Paula Covas, né? Paula Covas, pelo sobrenome, você já vê que não alinha muito, né?”, responde Cláudio, em alusão à diretora regional de Saúde, Paula Covas Borges Calipo.


Suposto elo
A possível relação do ex-governador com desvios de, aproximadamente, R$ 500 milhões da área da saúde estadual tem relação com a investigação de contratos do período em que ele administrou o Estado.


As apurações estavam a cargo da Divisão Especializada de Investigações Criminais (Deic) da Polícia Civil.


Márcio França foi alvo de operação policial na quarta-feira (5), denominada Raio X, que apura crimes de formação de quadrilha, peculato, lavagem de dinheiro e desvio de dinheiro público.


Cumpriram-se 34 mandados de busca e apreensão em Santos, São Vicente e outras 15 cidades de cinco regiões paulistas. Apreenderam-se documentos, armas de fogo e carros de luxo.


Logo A Tribuna