Forte chuva causa transtornos em cidades da Baixada Santista

Temporal causou alagamentos em municípios e rodovias que dão acesso à região

Por: De A Tribuna On-line  -  04/02/19  -  09:24
No Jockey Clube, em São Vicente, carro ficou debaixo d'água após alagamento
No Jockey Clube, em São Vicente, carro ficou debaixo d'água após alagamento   Foto: Arquivo pessoal

A forte chuva que caiu no início da madrugada desta segunda-feira (4) causou diversos transtornos em cidades da Baixada Santista. Há registros de alagamentos em todas as cidades da região. As rodovias que dão acesso aos munícipios também sofreram alterações por causa do temporal. 


Segundo a Defesa Civil de Santos, o acumulado de chuva nas últimas 24 horas chegou a 220mm, que é mais da metade do esperado para todo o mês de fevereiro. Há o registro de 10 pontos de escorregamentos nos morros da cidade, com algumas vias obstruídas, queda de árvores e pontos de alagamentos. Vistorias técnicas estão sendo realizadas.


A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) de Santos informou que a Avenida Martins Fontes (saída da Cidade) está alagada. Nem os ônibus conseguem passar pela região. A interdição no local ocorre já a partir da Praça dos Andradas. Vias do Cais santista também estão alagadas. 


Queda de árvore provocou rompimento de cano em Santos
Queda de árvore provocou rompimento de cano em Santos   Foto: Carlos Nogueira/AT

Na Avenida Nossa Senhora de Fátima, nos dois sentidos, existem vários pontos de alagamento. Entre eles, as ruas Ana Santos, Afonsina Proost de Souza e na Avenida Martins Fontes. A CET realizou bloqueio a partir da Rua Boris Kaufman. A única opção garantida nesse momento para movimentação entre Santos e São Vicente é pela praia.


"Em 19 anos morando no bairro Chico de Paula, nunca vi algo assim", comentou o leitor Diego Lincon Bezerra. Ele relatou que a água invadiu sua casa e causou vários prejuízos como a perda de eletromésticos e móveis. 


Entrada de Santos ficou alagada e com congestionamento nesta manhã
Entrada de Santos ficou alagada e com congestionamento nesta manhã   Foto: Divulgação/Beatriz Martins

Em Cubatão, há pontos de alagamento em diversos pontos da cidade, como nos bairros Vila Nova, Jardim Costa e Silva, Vila São José e Vila dos Pescadores, bem como na entrada do Jardim Casqueiro. Nas últimas 24h, foram registrados 162 mm no acumulado da chuva. Em Pilões, a sirene, que é tocada quando sobe o nível do rio, foi acionada por volta das 2h30. No entanto, pela manhã, o nível da água já abaixou, assim como na Água Fria, onde também foi registrada a cheia do rio.


São Vicente também registrou pontos de alagamento pela cidade. Um muro caiu em um prédio na subida do morro do Itararé. O internauta Carlos Roberto registrou a Avenida Humberto de Alencar Castelo Branco intransitável, na Cidade Náutica. Transtornos também foram registrados na Avenida Presidente Wilson, na região central da cidade.


Aline Aparecida é moradora do Pompeba há 32 anos. Ela relatou nunca ter passado por uma situação tão crítica. "A minha casa ainda não encheu porque ela é alta. Porém, a água está vindo na minha perna. A casa da minha avó já está toda debaixo d'água. A rua está toda alagada. Até quando teremos que passar por isso? Isso é uma situação salubre?", disse a moradora. 


Uma usuária do transporte público em Praia Grande informou que os ônibus estão proibidos de deixar o Terminal Tude Bastos. "Ninguém sai da Praia Grande. Tudo lotado. Disseram que São Vicente está debaixo de chuva. Tudo cheio lá e não conseguimos sair daqui. A empresa proibiu os ônibus de sair e estamos ilhados em Praia Grande", comentou.


Pessoas caminham pela Avenida Humberto de Alencar Castelo Branco, na Cidade Náutica
Pessoas caminham pela Avenida Humberto de Alencar Castelo Branco, na Cidade Náutica   Foto: Leitor/Carlos Roberto

Em Mongaguá, foi registrado alagamento no bairro Jussara. Em Itanhaém, segundo a Defesa Civil, em 5 horas, choveu 210 mm. Vários bairros registraram alagamentos. O órgão realiza vistorias em pontos da cidade, que está em estado de atenção. Nenhuma família ficou desabrigada ou desalojada.


Já em Peruíbe, a Defesa Civil informou que a forte chuva que atingiu o município causou alagamentos nos bairros Caraguava, Jardim das Flores, Ribamar, Arpoador II e São João Batista II. Os alagamentos atingiram as vias públicas, algumas com interdição parcial e total. Oito famílias ficaram desalojadas e foram encaminhadas para um alojamento. Apesar da chuva ter parado, a maré está cheia. Nas últimas 24h, foram registrados 212 mm no acumulado da chuva.


Munícipes empurram carro durante alagamento na Avenida Presidente Wilson, em São Vicente
Munícipes empurram carro durante alagamento na Avenida Presidente Wilson, em São Vicente   Foto: Leitor/Joyce Agapito

Ônibus


Às 8h30, a BR Mobilidade informou que as linhas intermunicipais estão voltando gradativamente, de acordo com o nível da água, com exceção das linhas de Cubatão e Área Continental e São Vicente. O VLT ainda está aguardando a liberação da Defesa Civil para voltar a operar, devido a queda de uma barreira próximo ao túnel.


A Viação Piracicabana informa que, no sistema municipal de Santos, a frota já está sendo liberada para retorno normal da operação, conforme a redução de água nas ruas. O sistema municipal de Praia Grande já está com a frota nas ruas.


Estradas


Segundo a Ecovias, concessionária que administra o Sistema Anchieta-Imigrantes (SAI), a rodovia Anchieta enfrenta tráfego lento, sentido litoral, entre o Km 59 e Km 60, devido a alagamento. A Pista Central Sul e Norte da Anchieta estão bloqueadas entre o km 13 e km 10, pelo mesmo motivo. 


A alça de acesso da Anchieta para a rodovia Padre Manoel da Nóbrega, no Km 54, está bloqueada, devido alagamento. As chuvas também causam o desvio do tráfego no Km 271 da Padre Manoel para o anel viário.


Na Cônego Domênico Rangoni, sentido Guarujá, o tráfego está lento entre o Km 255 e Km 254, devido queda de barreira. O trânsito dos veículos é somente pela faixa da direita.


Logo A Tribuna