Com unidades na Baixada, rede de cinemas protesta contra restrições e chama Doria de 'Pinóquio'

Cine Roxy afirma que novas medidas do Plano São Paulo impactarão 'intensamente' o setor

Por: Por ATribuna.com.br  -  29/01/21  -  14:00
Cine Roxy criticou decisão do governo estadual de restringir horários de funcionamento
Cine Roxy criticou decisão do governo estadual de restringir horários de funcionamento   Foto: Reprodução/Cine Roxy

O Cine Roxy protestou contra a decisão do Governo do Estado de São Paulo de restringir o horário de funcionamento dos estabelecimentos aos fins de semana, como medida para conter a disseminação da Covid-19.


Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!


Em imagem postada nas redes sociais, a rede de cinemas, com unidades em Santos, São Vicente e Cubatão, associou a imagem do governador João Doria com o filme 'Pinóquio', que está em cartaz.


#CineRoxy.


A montagem contém a mensagem "todos os dias na TV", ao lado da foto de Doria com nariz de Pinóquio. "No cinema, de segunda a sexta. Porque sábado e domingo ninguém pode trabalhar. Resistiremos", diz a postagem.


Na última sexta (22), o Governo do Estado reclassificou a Baixada Santista no Plano Sâo Paulo de combate à Covid-19, fazendo a região alternar entre as fases laranja e vermelha, as mais restritivas. Durante a semana, das 20h às 6h, e aos fins de semana, apenas os serviços considerados essenciais poderão funcionar.


Em nota, o Cine Roxy declarou que paralizou as atividades em março do ano passado, antes de qualquer decreto restritivo, e disse que as novas regras do Plano São Paulo impactarão intensamente no setor.


"Em março do ano passado, antes mesmo de qualquer decreto relacionado a distanciamento e fechamento, a rede Cine Roxy paralizou suas atividades pensando no bem-estar de seu público e de seus funcionários e permaneceu sete meses fechada, sem demissões", diz a nota, que acrescenta, em seguida, o posicionamento contrário ao fechamento nos fins de semana.


"Reabrimos em outubro, conforme decreto municipal, e temos seguido todos os protocolos. Com essas novas regras do plano SP o setor de exibição é impactado intensamente. Assim, seguimos a mesma posição dos bares e restaurantes da região, contrária ao fechamento aos finais de semana. Estamos seguindo o Plano SP, mas pedimos bom senso ao governo."


Resposta


O Governo de São Paulo disse que a decisão de restringir o horário de funcionamento foi adotada após recomendação do Centro de Contigência do coronavírus, e tem como objetivo evitar aglomerações. Confira a nota na íntegra.


"O Governo de São Paulo mantém canal aberto com todos os setores da economia e representantes de associações. Reforça também que atua com plena responsabilidade e transparência no combate e controle do coronavírus, sempre amparado pela ciência.


A decisão de permitir apenas atividades essenciais após as 20h e até as 6h em dias úteis, e integralmente nos finais de semana, foi adotada após recomendação do Centro de Contingência do coronavírus, com o objetivo de evitar aglomerações e a disseminação da doença.


Reconhece a gravidade da crise econômica global e os impactos no setor. O diálogo com estes setores é constante e o Estado já desembolsou quase R$ 2 bilhões de crédito pela Desenvolve SP, Banco do Povo e Sebrae para auxiliar empreendedores a atravessarem a crise. Ressalta, ainda, que está estudando novas linhas de crédito para ajudar os setores mais afetados pela pandemia."


Logo A Tribuna