Baixada Santista já está com tudo pronto para vacinar os idosos contra a Covid-19

A partir desta segunda-feira (8), prefeituras da região terão esquema especial para imunizar pessoas com 90 anos ou mais contra o coronavírus

Por: Rosana Rife & Da Redação &  -  07/02/21  -  14:45
A expectativa das prefeituras da Baixada é imunizar mais de 6.300 pessoas com 90 anos ou mais
A expectativa das prefeituras da Baixada é imunizar mais de 6.300 pessoas com 90 anos ou mais   Foto: Vanessa Rodrigues

As cidades da Baixada Santista começam a imunizar idosos com 90 anos ou mais, a partir de amanhã, com doses da vacina contra o coronavírus. Serão mais de 6.300 pessoas na região. Por isso, fique atento ao esquema montado pelos municípios e saiba o que fazer e onde ir.


Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!


As prefeituras pedem que os munícipes levem documento pessoal com foto e comprovante de residência. A opção para quem morar com um parente e não tenha conta no próprio nome é apresentar o documento do familiar e um comprovante no nome dele. Há ainda a solicitação para que esse público se cadastre no site (clique aqui para acessar).


Santos vai oferecer o medicamento nas policlínicas (exceto as do Monte Serrat e Alemoa), das 8h às 11h, a 1.970 idosos. Em quatro unidades - Jabaquara, Vila Nova, Ponta da Praia e Rádio Clube - haverá também drive thru (atendimento sem necessidade de sair do veículo).


>> Confira dados sobre o esquema de vacinação na região


Já Praia Grande vacinará 1.400 pessoas, em dois polos de aplicação. De acordo com a administração, nesses locais serão distribuídas senhas, de acordo com as doses disponíveis.


“Nós pedimos que as pessoas tenham paciência, todos serão vacinados. As doses estão chegando aos poucos, não há necessidade de pânico”, destaca, em nota, o secretário de Saúde de Praia Grande, Cleber Suckow Nogueira.


Mais cidades


Bertioga também montou esquema especial para imunizar cerca de 150 idosos. O atendimento será feito em Unidades Básicas de Saúde (UBS). A cada dia da semana haverá postos diferentes para prestar o atendimento (infográfico). O horário será sempre das 9h às 13h.


Em Guarujá, devem ser imunizadas 400 pessoas nessa faixa etária. Elas receberão doses da vacina CoronaVac. O medicamento será aplicado exclusivamente na Unidade de Saúde da Família (Usafa) Jardim dos Pássaros (Rua Rouxinol, 2, Jardim dos Pássaros). Também haverá drive thru no local, com funcionamento de segunda a sexta, das 9h às 15h.


Cubatão vai vacinar 327 idosos com 90 anos ou mais. O Município também começará a imunizar trabalhadores de serviços particulares de Saúde. Eles devem ter em mãos documentos como carteira de trabalho, crachá, holerite ou declaração do serviço de saúde.


Todas as UBSs e Estratégias de Saúde da Família (ESF) de São Vicente vão oferecer a vacina aos idosos, de segunda a sexta, das 9h às 15h30. Serão 1.533 pessoas.


Litoral Sul


Itanhaém aguarda o envio de doses pelo Estado para montar o cronograma. Por enquanto, não há programação para drive thru.


Mongaguá imunizará 281 pessoas. O Município vem cadastrando esse público nas Unidades de Saúde da Família (USF). A vacinação ocorrerá nesses locais. Não foram informados detalhes.


Pelo menos 300 idosos devem ser atendidos em Peruíbe. A Cidade não informou locais e horários de atendimento. Mas disse que haverá drive thru. Também há recomendação para enviar e-mail para vepidemiologia@gmail.com com as seguintes informações: nome completo, data de nascimento, CPF, nome da mãe, endereço completo e telefone.


Infectologistas dizem que imunização é vital


Nada de fugir da vacinação, alertam médicos infectologistas. A imunização é fundamental, principalmente para idosos. São eles que mais têm morrido por conta da covid-19 em todo o País.


“Isso ocorre por causa de alterações sofridas pelo sistema imunológico (defesa) à medida que a pessoa envelhece e das doenças crônicas verificadas nessa população”, diz o infectologista e consultor da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI), Leonardo Weissmann.


O infectologista e diretor da Sociedade Paulista de Infectologia (SPI), Evaldo Stanislau, também ressalta a importância da campanha de imunização. “Tem gente com medo da vacina e não da doença. E tem que ser o contrário. A vacina é segura, independentemente da marca”.


Weissmann concorda. “Elas chegaram à população após avaliação técnica e detalhada pela agência regulatória brasileira, a Anvisa, que comprova o rigor técnico na produção, a eficácia e segurança. Portanto, não há motivo para o idoso ou qualquer pessoa deixar de aderir à campanha de vacinação”.


Também não há restrição para receber a dose. “Não tem alergia, remédio ou doença que impeça a pessoa de ser vacinada. Agora, quem estiver com febre deve esperar entre 48 e 72 horas para tomar a dose. Quem teve covid recentemente ou está com a doença também deve esperar, nesse caso, umas quatro semanas”, avisa Stanislau.


Logo A Tribuna