Baixada Santista diagnosticou 71 casos de câncer de colo de útero em 2018

Doença é o terceiro câncer mais frequente em mulheres, e pode ser contraído por meio de relações sexuais desprotegidas

Por: Yasmin Vilar & De A Tribuna On-line &  -  29/01/19  -  22:05
  Foto: Divulgação/SCSM

O mês de janeiro é dedicado à conscientização e prevenção do câncer de colo de útero, com a campanha Janeiro Verde. A doença, o terceiro câncer que mais atinge as mulheres, pode ser contraída por meio de relações sexuais desprotegidas e, raramente, pelo parto. Em 2018, sete cidades da Baixada Santista diagnosticaram 71 casos.


Na região, os casos identificados por meio da rede pública de saúde são encaminhados para a Rede Hebe Camargo de Combate ao Câncer, onde as pacientes podem ser tratadas por meio de cirurgia, quimioterapia e radioterapia. Na Baixada Santista, as mulheres podem ser atendidas no Hospital Guilherme Álvaro, Beneficência Portuguesa, Santo Amaro e Santa Casa de Santos; e no Vale do Ribeira, no Hospital Regional de Pariquera-Açu.


Santos realiza, em média, 35 internações hospitalares por consequência de câncer de colo de útero. A Seção de Vigilância Epidemiológica da cidade (Seviep) informa que 12 internações foram realizadas no primeiro semestre de 2018. Já São Vicente registrou, de 2018 até janeiro de 2019, 19 casos de câncer de colo de útero. Já em 2017, 11 mulheres receberam o diagnóstico da doença.


Durante o ano, 18 casos de câncer de colo de útero foram diagnosticados em Guarujá. Em Bertioga, foram realizados 3.089 exames para prevenção da doença. A prefeitura informa que, até o mês de setembro do ano passado, oito casos de câncer de colo de útero foram identificados.


No mesmo ano, duas mulheres foram diagnosticadas com a doença em Cubatão. Nove pacientes foram diagnosticadas com câncer de colo de útero em Mongaguá. Em Itanhaém, 17 pacientes estavam em tratamento, mas uma veio a óbito durante o período.


As prefeituras de Praia Grande e Peruíbe não informaram o número de casos até o momento da publicação desta reportagem.


Logo A Tribuna