Ford deve garantir assistência às pessoas que têm carros da marca; entenda

Mesmo com fechamento de fábricas da montadora no Brasil, serviços a clientes precisam ser mantidos

Com o anúncio do fechamento de fábricas e fim da produção de veículos da Ford no Brasil, muitos proprietários de veículos da marca estão preocupados com garantia, manutenção e reposição de peças. A companhia, porém, precisa continuar a prestar serviços aos consumidores.  

Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!

“Eu começaria com o seguinte: o consumidor que acabou de comprar um carro zero, às vezes nem tirou da concessionária e é surpreendido com essa informação, será que ele quer continuar optando pela Ford? Precisa se oportunizar ao consumidor a possibilidade de desfazer o negócio em razão dessa ausência de informação relevantíssima. O consumidor precisa ter esse direito resguardado”, explica o advogado Rafael Quaresma, especialista em Direito do Consumidor.  

Advogado e professor universitário Rafael Quaresma: direitos do consumidor garantidos

Sobre a assistência aos clientes, o advogado afirma que todos os serviços devem ser resguardados. “As revisões devem continuar a ser feitas normalmente. Isso é um acerto entre montadora e concessionária, regido por lei própria, a Lei Ferrari, de 1979. Esse efeito em cascata (fechamento) não pode atingir o consumidor”.  

Segundo Quaresma, o artigo 32 do Código de Defesa do Consumidor diz que o fornecedor deve continuar produzindo as peças enquanto fabrica os produtos. “Agora, quando não há mais essa fabricação - e não sei se essa é o caso ou se é só um encerramento no Brasil – a lei fala em prazo razoável, dando margem a uma série de interpretações. Prazo razoável deve ser considerado como a média de vida útil do produto. O consumidor não compra um carro 0km para daqui a dois ou três anos dar um problema e não ter peça para reposição”.  

Promete manter 

Em nota, a Ford afirma que continuará ativamente presente no Brasil e na América do Sul com sua ampla Rede de Concessionários, “prestando assistência total ao consumidor com operações de vendas, serviços, peças de reposição e garantia”. 

Além disso, a empresa diz que vai oferecer um portfólio “empolgante, conectado e cada vez mais eletrificado de SUVs, picapes e veículos comerciais, provenientes da Argentina, Uruguai e outros mercados”.   

Reforça, ainda, que planeja anunciar em breve novos modelos para o Brasil, “incluindo um novo veículo híbrido plug-in, com expansão dos serviços conectados e introdução de novas tecnologias autônomas e de eletrificação”.  

Tudo sobre: