Em 72h, Santos supera 32% a média de chuvas para o mês de julho

Devido ao solo encharcado, Defesa Civil manteve morros santistas em estado de alerta para deslizamentos

A reta final de julho colocou fim à estiagem que marcou a primeira metade do inverno nas cidades da Baixada Santista. Em apenas 72 horas, o volume de precipitação registrado em Santos superou 31,8% à média histórica para o período.

Devido ao solo encharcado nas encostas, os morros santistas permanecem em estado de atenção para deslizamentos. Essa classificação é acionada assim que a quantidade de precipitação supera a marca de 80 mm e com previsão de condições climáticas persistentes.  

De acordo com a Defesa Civil de Santos, o acumulado de chuva nas últimas 72 horas foi de 135 milímetros, por volta das 7 horas desta sexta-feira (31) – cada mm equivale a um litro de água por metro quadrado. Ainda conforme o órgão municipal, não houve registro de incidentes na Cidade por conta das precipitações. 

Conforme a base de dados da Defesa Civil Estadual, a média histórica é de 102,4 milímetros de chuva para o mês de julho. Segundo o órgão santista, o maior volume de precipitação foi registrado entre a noite de quarta (29) e madrugada da quinta-feira (30), com 93,6 mm.  

Ressaca e ventos

O Centro de Hidrografia da Marinha do Brasil (CHM) emitiu alerta, na manhã desta quinta-feira (30), sobre as condições climáticas na faixa do litoral paulista. O boletim informa a possibilidade de ventos, de direção Sul a Sudeste, com intensidade de até 75 km/h (40 nós) até esta sexta-feira (31).  

Os ventos associados a esse sistema meteorológico poderão ocasionar agitação marítima com ondas, em alto-mar. O órgão alerta ainda que há condições favoráveis à ocorrência de ressaca com ondas de direção Sul a Sudeste, com até 2,5 metros de altura, na faixa litorânea entre os estados de São Paulo, ao norte de Santos, do Rio de Janeiro, e do Espírito Santo. Esse fenômeno pode ocorrer até a manhã de sábado (1º). 

Tudo sobre: