EDIÇÃO DIGITAL

Segunda-feira

10 de Agosto de 2020

Vila Nova é o bairro de Cubatão com mais casos de coronavírus

Local tem registro de 117 casos da Covid-19. Taxa de recuperados na cidade é de 78%

A Vila Nova permanece como o bairro com a maior incidência de casos do novo coronavírus (Covid-19) em Cubatão. O local tem 117 casos confirmados da doença, de acordo com a Vigilância à Saúde e Vigilância Epidemiológica do município. Os casos por bairro foram contabilizados nesta quinta-feira (4), quando a cidade apresentava 808 casos e 54 óbitos.

O primeiro levantamento semanal de junho mantém a tendência que já havia aparecido nos dois anteriores: após a Vila Nova, apresenta-se um bloco de três bairros de reconhecida vulnerabilidade social, Vila Natal (71 casos, 5 óbitos), Vila Esperança (68 casos, 9 óbitos) e Vila dos Pescadores (65 casos, 7 óbitos). Os três reúnem 204 casos, praticamente 1 em cada 4 casos da cidade (25,24%). O Jardim Casqueiro registra 51 casos (4 óbitos).

Entre 26 e 50 casos, encontram-se sete bairros: Jardim Nova República (50 casos, 4 óbitos), Vila São José (48 casos, 2 óbitos), Parque São Luís (35 casos, 1 óbito), Jardim Costa e Silva (31 casos), Fabril (29 casos, 1 óbito), Jardim Real/Bolsão 9 (27 casos, 4 óbitos) e Ilha Caraguatá (26 casos, 3 óbitos).

No bloco seguinte estão Parque Fernando Jorge (24 casos, 1 óbito), Jardim 31 de Março (18 casos, 2 óbitos), Jardim São Francisco (17 casos), Sítio Novo (11 casos, 1 óbito), Cota 200 (11 casos), Ponte Nova (11 casos), Vila Paulista (11 casos), Água Fria (10 casos, 1 óbito), Pilões (8 casos, 1 óbito) Vila Santa Rosa (8 casos, 1 óbito), Costa Muniz (8 casos), Vale Verde (7 casos), Centro (5 casos), Vila Couto (4 casos, 1 óbito), Vila São Benedito (4 casos, 1 óbito), Rodovia Padre Manoel da Nóbrega (3 casos, 1 óbito), Pinhal do Miranda (3 casos), Cota 95, Vila Noel e Vila Pelicas (2 casos cada), e, com 1 caso, Conjunto Afonso Schmidt, Jardim Anchieta, Vila Elizabeth e Morro do Índio. Do total de casos, 17 não têm o bairro especificado.

Recuperados

A taxa de recuperados, ainda de acordo com os número de quinta-feira (4), segue subindo em Cubatão. Agora, a cidade tem a maior taxa de recuperação desde o início da pandemia, com 78% - equivalente a 627 pessoas. O número contabiliza pessoas que cumpriram isolamento social e que tiveram alta hospitalar. Na semana passada, a taxa era de 66%.

A taxa de mortalidade subiu de 5,56% para 6,68% e reflete o registro de 13 óbitos entre os dias 3 e 4 de junho, quando houve a notificação de óbitos ocorridos entre os dias 28 de maio e 2 de junho, de residentes de Cubatão que estavam internados em outros municípios da Baixada Santista ou São Paulo. Ainda assim, a taxa mantém-se abaixo do índice de letalidade do Estado (6,7%), A taxa nacional está em 5,6%.

As vítimas com idades entre 50 e 59 anos são 14 (25,92%). Há ainda 4 óbitos na faixa entre 40 e 49 anos, 1 óbitos entre 20 e 29 anos e 1 óbito entre crianças até 4 anos.

Tudo sobre: