EDIÇÃO DIGITAL

Sábado

19 de Outubro de 2019

Parque das Primaveras, em Cubatão, vive abandono

O estado do lugar preocupa a população, principalmente em segurança, pois há diversos relatos de assaltos

O que era um espaço de lazer e natureza, em Cubatão, virou um local de abandono. Essa é a realidade do Parque das Primaveras, na Avenida Jornalista Giusfredo Santini, no bairro 31 de Março. O estado do lugar preocupa a população, principalmente em segurança, pois há diversos relatos de assaltos próximo ao local.

Ao lado do parque, ficam dois campos de futebol. Antonio Lima de Souza, de 80 anos, é presidente do Vera Cruz FC, responsável por um deles. Com outros voluntários, ele faz o possível para cuidar da área. “Tem nos atrapalhado muito por causa dos insetos, aranhas e cobras. A gente sempre pede conservação, mas é difícil”.

No tempo seco os problemas com as pragas são maiores, explica o presidente do clube. Mas é à noite que vem seu maior medo. “A nossa preocupação é com a segurança, que não tem. Constantemente há assaltos por aqui, é perigoso”.

Antonio lembra da praça que havia no Parque das Primaveras, com cantinas, quiosques e opções de lazer. Antes do terreno parar de receber os devidos cuidados.

“Vinha pessoal de fora aqui, de Praia Grande e Bertioga, tudo pelo lazer de lá. Depois, não sei por qual motivo a prefeitura deixou levar assim, pra essa sujeira que está lá”.

O vice-presidente do Vera Cruz, Genésio Borges, de 61 anos, lamenta o tempo em que se encontra o Parque se encontra mal cuidado. “Isso é um problema antigo, faz uns 10 anos já”.

Ele pede por uma cooperação maior para recuperar o espaço.

“Tinha que haver uma preocupação maior em cima disso. Se houvesse, traria uma alegria e uma satisfação maior tanto pros moradores da região quanto da cidade inteira”.

Emenda

Em dezembro de 2009, uma emenda parlamentar aprovada na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo previa a liberação de R$ 300 mil para revitalizar o Parque das Primaveras.

A reforma estava prevista para começar no ano seguinte e melhoraria o paisagismo do local, além de introduzir equipamentos de lazer, esportivos e educacionais e criar espaços para apresentações artísticas e culturais. Porém, os projetos não foram realizados.

Tudo sobre: