EDIÇÃO DIGITAL

Sexta-feira

22 de Novembro de 2019

Novos ônibus municipais de Cubatão são elogiados nas ruas

Apesar das boas avaliações, moradores enfrentam longas filas para troca do cartão-transporte. Prefeitura cobra empresa

Em operação desde o último sábado (2), os novos ônibus da Viação Fênix ainda são novidade para muitos usuários. “Utilizei uma vez e achei muito bom até aqui, porque tem ar-condicionado e passou na hora certa”, diz a aposentada Elza Jordão, de 61 anos.

A eletricista Raphaela Viana, de 20 anos, conta que deve, agora, utilizar mais o transporte municipal. “Preferia ir a Santos em vez de vir ao Centro de Cubatão, porque o transporte era ruim antigamente. Acho que agora, com essa nova empresa, vai melhorar”. 

Já o mecânico Paulo Roberto da Silva, de 45 anos, avalia a mudança como positiva. “Os ônibus antigos estavam sucateados, para falar a verdade. Esses estão com visual bem melhor. Mas falta diminuir o tempo de espera”. 

A empresa atua na cidade com 49 ônibus, número considerado suficiente para a demanda, de acordo com a prefeitura. Para acompanhar o trajeto dos ônibus em cada linha, os usuários podem utilizar o aplicativo Cittamobi, disponível gratuitamente para os sistemas Android e iOS. As lotações também continuarão prestando serviço no Município. 

Troca do cartão de ônibus vira teste de resistência 

Moradores de Cubatão sofrem para conseguir o novo cartão que dá acesso ao transporte público no município, administrado pela Viação Fênix desde o último sábado. O drama se repete na hora da troca dos créditos antigos. Tem gente passando mais de quatro horas na fila do posto de atendimento improvisando e com pouca estrutura. 

A Reportagem esteve no local, que fica no Centro, nesta terça-feira (5) de manhã e foi bombardeada com queixas de usuários como a aposentada Nadir Juarez, de 65 anos, que não suportou a espera. “Hoje fiquei quatro horas na fila e desisti. É a quarta vez que tento fazer o cartão de idosos e não consigo”.

A auxiliar de cozinha Elisângela Pereira, de 42 anos, tem tirado dinheiro do bolso desde segunda-feira (4) para que as duas filhas possam ir para a escola.  

“É a segunda vez que venho e não consigo fazer a transferência dos créditos do cartão escolar delas. Cheguei às 7h. A fila está enorme e não anda há meia hora porque disseram que a máquina quebrou”.  

Situação semelhante viveu a vigilante Marinalva Ribeiro da Silva, de 53 anos. Há três horas aguardando atendimento, ela não tinha certeza se sairia com o cartão-transporte das duas filhas. 

“Estou pagando do meu bolso, sendo que há crédito no cartão-transporte. Vim ontem [segunda] e acabou a tinta da máquina e hoje não sei o que vai acontecer. É um desrespeito”. 

A dona de casa Elza Alves conta que não consegue renovar o cartão escolar da filha e nem o dela, destinado a pessoas com deficiência. “Vim várias vezes e sempre é essa fila. Ainda disseram que meus laudos não valem. Tenho hérnia de disco, bico de papagaio, artrose nas duas pernas e dizem que só aceitam se for documentação do INSS”.

Já Ednai dos Santos Pereira, de 47 anos, admite não saber o que fazer. Ela tem cartão para pessoa com deficiência, porém precisa renová-lo para poder embarcar nos novos ônibus. 

“Contudo, eles não aceitam meus exames e laudos que tenho. São assinados por dois médicos. Dizem que tenho que passar por perícia deles ou ter documentação do INSS ou ainda passar pela policlínica. Como pedem perícia em cima de uma deficiência já comprovada?”. 

Usuários do transporte coletivo cubatense sofreram para transferir créditos e realizar outros serviços (Foto: Carlos Nogueira/AT)

Após caos, prefeitura exige serviço melhor 

Questionada, a Prefeitura de Cubatão informou que tem conhecimento do drama pelo qual os moradores passam para ter acesso ao novo sistema de transporte coletivo e já pediu à Viação Fênix providências para melhorar o atendimento ao público, tanto em relação ao atendimento quanto à troca dos créditos. 

“Caso a empresa não cumpra o que está acordado, a prefeitura tomará as medidas cabíveis, conforme previstas no contrato de concessão”. 

Quanto à exigência de laudos para pessoas com deficiência, a administração diz que está acordado com a concessionária que será aceita documentação emitida por médicos da rede municipal. Em caso de descumprimento, o município pede que as pessoas denunciem o caso à Companhia Municipal de Trânsito (CMT) “para que as medidas cabíveis sejam tomadas”. 

A Tribuna entrou em contato com a Viação Fênix por telefone e por e-mail, nesta terça-feira (5), mas não houve um posicionamento sobre todos os problemas relatados pelos usuários até o fechamento desta reportagem.

Tudo sobre: