EDIÇÃO DIGITAL

Terça-feira

22 de Outubro de 2019

Jornalista Manuel Alves Fernandes dará nome a ponte em Cubatão

Maneco, que por mais de 50 anos trabalhou em A Tribuna, morreu em outubro do ano passado

A Câmara de Cubatão aprovou, na última terça-feira (1), o projeto de lei 51/2019, que denomina a Ponte do Arco-íris como “Jornalista Manuel Alves Fernandes - Maneco”. A iniciativa visa homenagear um dos profissionais de imprensa mais conhecidos e respeitados da Baixada Santista. A matéria é de autoria do vereador Marcinho (PSB).

Maneco trabalhou por mais de 50 anos em A Tribuna, tendo acompanhado o crescimento de Cubatão por quatro décadas. Ele faleceu em 26 de outubro de 2018, ainda compondo o quadro de repórteres do jornal.

Manuel Alves Fernandes nasceu em 26 de abril de 1945, em São Martinho de Mouros, Viseu, em Portugal. Ele sempre atuou em prol da comunidade luso-brasileira local. Reconhecido como cidadão cubatense, foi um dos fundadores da Associação Luso-Brasileira de Cubatão (Alubrac).

Maneco chegou a trabalhar no jornal “O Sol” no Rio de Janeiro na década de 60, sendo colega de profissionais como Zuenir Ventura. Em Cubatão, ele acompanhou de perto o crescimento da cidade, sua recuperação ambiental, além de fatos históricos como a tragédia na Vila Socó (atual Vila São José), em fevereiro de 1984, que culminou com a morte de 93 pessoas e deixou 3 mil desabrigados.

Responsável pelo caderno “Indústria” do jornal A Tribuna, Maneco se tornou um grande observador da vida cotidiana em Cubatão. Durante as quatro décadas dedicadas ao município, o jornalista produziu matérias sobre greves históricas e manifestações. O comunicador também revelou vários talentos da cultura e do esporte cubatense.

Ao longo de sua carreira, Maneco cobriu o trabalho de sete prefeitos em Cubatão e era considerado um conselheiro dos políticos da cidade.

“É incontestável a importância do Maneco à sociedade cubatense, que com olhar sensível, ético e profissional muito contribuiu para o desenvolvimento e destaque da cidade no cenário nacional”, ressaltou o autor do projeto aprovado. 

Acompanharam a aprovação do projeto a viúva do jornalista, Kátia Giulietti, e os filhos Michelle e Fábio.  O projeto de lei foi aprovado em segunda discussão e segue agora para a sanção do prefeito Ademário Oliveira. 

Tudo sobre: