EDIÇÃO DIGITAL

Sexta-feira

19 de Julho de 2019

Geladeira em viatura da CMT motiva instauração de comissão de inquérito em Cubatão

Companhia Municipal de Trânsito alega que equipamento foi doado; vereador quer investigar caso

Uma geladeira transportada dentro de uma viatura da Companhia Municipal de Trânsito (CMT) de Cubatão deve gerar a instalação de uma Comissão Especial de Inquérito (CEI) dentro da Câmara Municipal. O vereador Anderson de Lana Andrade, o Dr. Anderson Veterinário (PRB) tem a intenção de criar um grupo para investigar o caso.

Uma fotografia que mostra o transporte do eletrodoméstico passou a circular nas redes sociais no último sábado (19). A CMT justificou que a geladeira foi adquirida por funcionários do setor de transportes e doada a companhia, para que seja usada para guardar alimentos e gelar as bebidas que, por conta do forte calor, são consumidas em maior quantidade. Além disso, a autarquia também informou que o transporte foi feito do local onde a geladeira estava direto para sua a sede, onde será instalada e utilizada pelos funcionários.

Foto com geladeira em cima de viatura da Companhia Municipal de Trânsito circulou pelas redes (Foto: Arquivo pessoal)

Na visão do vereador, é necessário uma melhor apuração dos fatos, já que a CMT é um órgão público. "Como estamos na condição de agente fiscalizador, eu achei estranho. Temos que fiscalizar, senão vira moda, e daqui a pouco uma ambulância do SAMU também vai estar transportando o que quiser, se for analisar. É para investigar se está na diretriz da Companhia Municipal de Trânsito, se a ordem partiu do superintendente Jefferson Cansou e se realmente, o que eles colocaram como justificativa, vem ao caso", explicou Dr. Anderson, que atentou que a companhia possui dotação própria de R$ 3 milhões para a gestão.

"Se for verídica a informação que a geladeira partiu de uma doação, também teremos que analisar se está nas diretrizes da Companhia Municipal de Trânsito fazer esse desvio de conduta. Mesmo se for para fazer uma ação aos olhos da população - porque quem paga o combustível é a população, tudo tem que ser avaliado. Se foi uma doação, poderia ter pego um carro da Secretaria de Manutenção, carro próprio, alugar. Porque a finalidade é pessoal", emendou o vereador.

Para que a CEI seja instaurada é necessária a assinatura de cinco vereadores, além da aprovação em plenário. De Lana acredita que não haverá oposição do Legislativo em abrir uma comissão para analisar o caso. No entanto, ele ainda irá preparar a documentação para ir aos gabinetes dos edis e colher as assinaturas.

Além do caso envolvendo o transporte da geladeira, o representante do PRB também quer questionar a CMT sobre as condições oferecidas pela companhia aos funcionários.

"Quero saber as condições referentes as instalações. Se acabaram doando uma geladeira é porque está faltando condições básicas aos funcionários. A proporção do inquérito dependerá das oitivas, do que vão dizer. Aí vamos tomando o trajeto. Quero questionar, por exemplo, se a companhia tem um orçamento próprio, por que ela não providenciou a compra direta de uma geladeira? Saber se realmente, o que eles falaram, procede. Será que essa geladeira não era particular, alguém foi levar para consertar e descobriram? Aí falaram que foi doação. Tudo tem que ser avaliado", ponderou Anderson de Lana. 

Em nota, a CMT reiterou que orienta os funcionários para não utilizar, sob hipótese alguma, viaturas da companhia para fins pessoais. Caso isso ocorra, é instaurado processo administrativo e os responsáveis são punidos conforme prevê o regimento interno da CMT.

Anderson de Lana irá colher assinaturas de outros vereadores para abrir CEI (Foto: Rodrigo Palassi/Câmara de Cubatão)