Funcionários terceirizados que prestam serviços para Petrobras pedem demissão coletiva em Cubatão

Segundo eles, os salários já foram reduzidos em até 50% e os atrasos nos pagamentos são frequentes

Mais de 50 petroleiros terceirizados da Refinaria Presidente Bernardes de Cubatão (RPBC) pediram demissão nesta segunda-feira (27).

Posicionados em frente ao Posto de Atendimento ao Trabalhador (PAT) da cidade, os trabalhadores alegam que desde quando a empresa Allcontrol - que presta serviço de manutenção, instrumentação e elétrica na Petrobras - assumiu o contrato na refinaria, em outubro de 2019, a situação só piora. 

Segundo eles, os salários já foram reduzidos em até 50% e os atrasos nos pagamentos são frequentes. Outro incômodo por parte dos petroleiros é que a empresa não reconhece o Sindicato dos Metalúrgicos da Baixada Santista como represetante da categoria. 

Vale lembrar que os trabalhadores estão em greve desde terça-feira (21) da semana passada. Na última sexta (24), sindicalistas realizaram um protesto em frente a Refinaria. A manifestação teve como tema a condição de trabalho precária, além do sucateamento, fechamento de refinarias e privatização da empresa.

Nota da empresa Allcontrol

“A Allcontrol Engenharia informa que nunca descumpriu qualquer norma trabalhista. Todas as obrigações e benefícios previstos na Legislação e em Contrato firmado com a Petrobrás estão sendo inexoravelmente cumpridas. A Allcontrol sempre se disponibilizou a dialogar com os colaboradores e, dentro das possibilidades tangíveis tentar cumprir o que lhe é solicitado. Infelizmente, alguns colaboradores juntamente com o Sindicato dos Metalúrgicos, apoiado pelo Sintracomos e Petroleiros, adotaram uma postura truculenta e sem qualquer respaldo jurídico buscam, através de ações ilegítimas, forçar a empresa a pagar valores que não estão previstos em nosso ordenamento contratual e jurídico.

Como a Allcontrol promoveu ações judiciais contra o Sindicato dos Metalúrgicos e obteve sucesso em todas as oportunidades. Tanto a primeira instância (juiz Singular) quanto a segunda (Tribunal) já declararam a ilegalidade e abusividade praticada pelo referido sindicato nos dois atos cometidos. Ele, segundo a Justiça do Trabalho, não detém legitimidade para representar os empregados da Allcontrol bem como as reivindicações não procedem. 

Portanto, os profissionais em questão, novamente sob má orientação, resolveram pedir demissão na data de ontem, como ato impensado visto a derrota na justiça.

A Allcontrol lamenta os pedidos de demissão, mas respeita a decisão de cada um que queira ou não permanecer na empresa.

A Allcontrol reitera seu posicionamento de cumprimento de suas atribuições e de negociação com seus colaboradores”.

Tudo sobre: