EDIÇÃO DIGITAL

Quarta-feira

23 de Outubro de 2019

Cubatão reverencia legado de Manuel Alves Fernandes

Jornalista de A Tribuna por mais de 50 anos foi homenageado nesta segunda-feira (24), no Dia de Portugal

“Maneco era, mais que um jornalista, uma pessoa de uma generosidade incomum, e com um conhecimento sobre Cubatão que poucos aqui têm. Era nossa referência, nosso consultor e um jornalista que lutou muito por esta cidade”.

A fala é do também jornalista Paulo Mota, e foi feita nesta segunda-feira (24), durante as homenagens prestadas a Manuel Alves Fernandes, o Maneco, que por mais de 50 anos trabalhou em A Tribuna. Maneco morreu em outubro do ano passado, ainda compondo o quadro de repórteres do jornal.

A homenagem fez parte das festividades pelo Dia de Portugal e das Comunidades Portuguesas, e foi organizada na Praça Portugal, Centro de Cubatão, pela Associação Luso-Brasileira de Cubatão, entidade que Maneco ajudou a fundar.

“Maneco não queria só publicar a notícia sobre os problemas da cidade. Ele queria ajudar a encontrar soluções. Era um conciliador, buscava o entendimento entre as partes, um jornalista e um ser humano do bem”, completou Mota.

“É a primeira celebração sem o Maneco. Ele jamais será esquecido”, disse Armando Campinas, presidente da associação.

O prefeito Ademário Oliveira destacou as qualidades do jornalista. “O conhecimento dele sobre Cubatão era tamanho que muitas vezes conversamos sobrefatos do passado para entendermos o presente. Ele tinha tudo na memória”.

A Praça Portugal, onde se deu a comemoração, ganhou uma placa em homenagem a Maneco, alusiva a Cubatão e Portugal. Ele nasceu em 26 de abril de 1945, em São Martinho de Mouros, Viseu, e sempre atuou em prol da comunidade luso-brasileira local.

Uma outra reverência à figura do jornalista deve ocorrer nas próximas semanas. É que tramita na Câmara de Cubatão um projeto de lei do vereador Marcio Silva Nascimento (PSB) que dá o nome de Jornalista Manuel Alves Fernandes - Maneco à Ponte dos Arcos, que liga o Centro da Cidade à zona industrial.

A solenidade desta segunda-feira teve ainda a participação do Coral Raízes da Serra, da Terceira Idade, sob regência da maestrina Sandra Diogo Moço, tocou músicas do repertório português.

Além de amigos e familiares, participaram a viúva do jornalista, Kátia Giulietti, a irmã, Maria de Fátima, e os filhos Michelle e Fábio.

Tudo sobre: