EDIÇÃO DIGITAL

Terça-feira

7 de Julho de 2020

Cubatão intensifica fiscalização contra comércios abertos de forma irregular

Estabelecimentos não essenciais que estiverem desrespeitando a quarentena poderão ser multados em R$ 690,00. Reincidência poderá gerar interdição do local

A Prefeitura de Cubatão anunciou que intensificará, a partir desta quinta-feira (14), a fiscalização junto aos estabelecimentos que comercializam produtos não essenciais e estão desrespeitando as regras da quarentena.

De acordo com a administração municipal, quem insistir em manter as portas abertas irregularmente poderá receber multa de R$ 690,00. No caso de reincidência, o estabelecimento poderá ser interditado. A intenção é reduzir o número de pessoas circulando pelas ruas da cidade e estimular a recomendação de permanecer em casa.

A informação foi divulgada no início da tarde desta quarta-feira (13) pelo diretor de Receitas, Luiz Alberto Maia da Silva. A fiscalização da Secretaria de Finanças contará com o apoio da Polícia Militar e funcionários da Secretaria Municipal de Segurança Pública e Cidadania. 

Luiz Alberto também destacou que a autorização para funcionamento de salões de beleza, barbearias, lava-rápidos e estacionamentos foi revogada. Ou seja: esses estabelecimentos devem manter as portas fechadas até, pelo menos, o final da quarentena, previsto para 31 de maio.

Atualmente, podem funcionar, adotando as medidas de distanciamento e segurança, os seguintes estabelecimentos: mercados, açougues, frigoríficos, casas de carnes, peixarias e similares, empórios, padarias, farmácias e similares, lojas de alimentação animal e postos de combustível (loja de conveniência fechada).

Também estão autorizados a funcionar feiras-livres (barracas de gênero alimentício), revendedores de gás de cozinha, agências bancárias, casas lotéricas, oficinas de manutenção de veículos e elétricas, borracharias, clínicas médicas e odontológicas, laboratórios de análises clínicas, casas de material de construção, unidades de prestação de servidos públicos, óticas e bancas de jornais.

Tudo sobre: