EDIÇÃO DIGITAL

Sexta-feira

18 de Outubro de 2019

Câmara de Cubatão nega novo pedido de cassação contra o prefeito Ademário

Durante votação nesta terça-feira (18), 11 vereadores votaram contra o pedido, enquanto apenas dois foram favoráveis

Durante sessão da Câmara Municipal de Cubatão nesta terça-feira (18), foi negado o segundo pedido de cassação do prefeito Ademário Oliveira (PSDB). Ao todo, 11 vereadores votaram contra o impeachment, enquanto dois foram a favor, com duas abstinências.

O pedido de impedimento foi protocolado pelo advogado Cícero João da Silva Júnior. O jurista alegou que o tucano precisa ser cassado pelo fato de não respeitar o Legislativo, devido ao não cumprimento das emendas impositivas do ano passado, indicadas pelos vereadores, e por remanejar a execução delas para o exercício seguinte.

Para ser aprovado, o impeachment precisava receber o voto de dois terços dos vereadores da Casa, ou seja, dez dos 15 parlamentares. No entanto, apenas dois foram favoráveis ao pedido: Toninho Vieira (PSDB) e Lalá (SDD).

Votaram contra o pedido Erica Verçosa (PSDB), Roxinho (PMDB), Rodrigo Alemão (PSDB), Dr. Anderson Veterinário (PRB), Ivan Hildebrando (PSB), Jair do Bar (PT), Sergio Calçados (PPS), Aguinaldo Araujo (PDT), Cleber do Cavaco (PRB), Marcinho (PSB) e Wilson Pio (PSDB).

Os parlamentares Ricardo Queixão (PSDB) e Rafael Tucla (PT) se ausentaram da votação desta terça-feira.

Primeira denúncia

A Câmara de Cubatão já havia rejeitado, em 7 de maio, o primeiro pedido de cassação do prefeito Ademário Oliveira. Foram 13 votos contrários. Apenas os parlamentares Toninho Vieira e Rafael Tucla votaram pela abertura do processo de impeachment.

Votação no Legislativo aconteceu nesta terça-feira (Foto: Divulgação/Câmara de Cubatão)
Tudo sobre: