Bola de fogo no céu de Cubatão é vista em cidades vizinhas na madrugada e gera temor; saiba o que é

A chama foi registrada na Refinaria Presidente Bernardes

Por: ATribuna.com.br  -  27/11/23  -  12:21
Atualizado em 01/12/23 - 00:42
O clarão se assemelhou a um sol e a uma bola de fogo
O clarão se assemelhou a um sol e a uma bola de fogo   Foto: Reprodução redes sociais

Um forte clarão no céu foi registrado entre a noite deste domingo (26) e a madrugada desta segunda-feira (27) em Cubatão. Em imagens publicadas nas redes sociais, moradores de cidades vizinhas mostram que a forte labareda, que acaba se assemelhando a um sol e a uma bola de fogo, chegou a ser avistada, inclusive, fora de Cubatão, em vários pontos da Baixada Santista, gerando temor na população. Conforme apurado por A Tribuna, o fogo foi causado pela parada de um equipamento da Refinaria Presidente Bernardes, em Cubatão (veja as imagens e o vídeo abaixo).


Clique aqui para seguir agora o novo canal de A Tribuna no WhatsApp!


Morador do bairro Jardim Rio Branco, na área continental de São Vicente, o corretor de imóveis João Fortunado, de 41 anos, diz que o clarão começou por volta das 23h20. “Eu estava na janela e o céu ficou com uma coloração alaranjada. Com o tempo, aquilo foi se tornando mais forte. Dava para ver as chamas muito altas. O céu estava muito avermelhado. Foi assustador!”, relata.


O corretor afirma que, depois de um tempo, a chama se apagou, mas, após cerca de 30 minutos, voltou novamente e continuou durante a madrugada. “Sempre olhava pela janela e avistava o fogo muito alto. Nunca vi algo assim. Tenho família em Cubatão e ficamos preocupados”, declara.


Moradores de cidades vizinhas registraram o clarão pela Baixada Santista
Moradores de cidades vizinhas registraram o clarão pela Baixada Santista   Foto: Reprodução redes sociais

Em nota, a Petrobras informou que, “por volta das 23h, houve a parada de um equipamento da Refinaria Presidente Bernardes (RPBC), em Cubatão”, e que “conforme previsto em projeto, houve o alívio de pressão para o sistema de flare, "mas a situação já foi regularizada”.


Questionada, a Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) disse que uma vistoria foi realizada no local na manhã desta segunda-feira (27) e “constatou-se que durante a madrugada ocorreu uma parada na unidade de craqueamento de petróleo e, consequente, desvio do gás gerado para as tochas 5 e 6 da refinaria, razão pela qual houve aumento das chamas nos flares, mas sem emissão de fumaça preta e odor e sem riscos ou problemas de ordem ambiental”.


Tudo sobre:
Logo A Tribuna
Newsletter