EDIÇÃO DIGITAL

Sexta-feira

3 de Julho de 2020

Covid-19: Leitos de UTI custam quase R$ 1 milhão por dia na Baixada Santista

O custeio nacional estimado é de R$ 1,23 bilhão por mês; caso mantido esse volume, o montante ao combate da doença vai superar toda a movimentação financeira de países africanos como Camarões e Guiné-Bissau

Mais do que achatar a curva de contágio, as regras de isolamento social também podem impedir que o Sistema Único de Saúde (SUS) entre em colapso financeiro. Um estudo aponta que os leitos de Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) Adulto têm custo de R$ 980 mil por dia nas nove cidades da Baixada Santista. No País, a cifra supera a marca de R$ 42 milhões a cada 24 horas, – ou cerca de R$ 1,23 bilhão por mês.

Caso seja mantida essa tendência de custeio nacional, até o final do ano, os recursos voltados as essas vagas podem superar o Produto Interno Bruto (PIB, que é a geração de riqueza de um país) de nações africanas como Camarões e Guiné-Bissau. As cifras constam no levantamento feito pelas empresas Planisa, Funcional Health Analytics e Prospera, no qual ATribuna.com.br teve acesso. 

Segundo o portal DATASUS, que reúne informações sobre equipamentos da rede pública de saúde, o País conta hoje com 15,3 mil leitos de UTIs Adulto e 16,7 mil no sistema privado. Na Baixada Santista, são 507 vagas habilitadas no SUS, dos quais 300 em Santos. Com base na metodologia aplicada ao estudo, a manutenção das estruturas hospitalares nas nove cidades por dia seria de R$ 980,5 mil.

Contudo, a tendência é que mais recursos públicos e privados sejam injetados para a implantação de novos leitos no País. Nesta terça-feira (5), o Brasil superou a marca de 116 mil infectados pelo novo coronavírus. Dados do Ministério da Saúde citam que  cerca de 4,7% dos pacientes acometidos pela Covid-19 necessitam de suporte em ambiente de terapia intensiva e 2,3% de ventilação mecânica invasiva.E o pico da doença é esperado para os próximos dois meses, avaliam infectologistas. 

Metodologia

No estudo, foram considerados dados de 2019 de uma amostra de 106 hospitais, no qual foi observado o valor médio de R$ 1.934,00 por dia de internação na UTI Adulto. “Ao considerar esse valor médio, concluímos que a capacidade instalada seria suficiente para tratar uma população de até 408 mil infectados simultaneamente”, diz o diretor técnico da Planisa, Marcelo Carnielo. 

Segundo ele, ao incluir mais 2,5 mil leitos exclusivos para a Covid-19, essa capacidade de atendimento teria acréscimo de mais 55 mil pacientes. Carnielo recorda que a estimativa de novos leitos ainda é incerta, uma vez que um conjunto de variáveis pode influenciar no aumento ou na diminuição da demanda por novos leitos de UTI. 

O levantamento mostrou ainda um alerta ao uso de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs). “O estudo constatou que não é habitual o uso de EPI com a intensidade recomendada no tratamento da Covid-19, o que poderá implicar em custos ainda maiores”, ressalta Carnielo. 

A metodologia adotada no estudo inclui custos diretos e indiretos para operação de um leito hospitalar, como investimento com equipes médica e de enfermagem, materiais, medicamentos e serviços de apoio e administrativo, entre outros. “Essas projeções são apenas exercícios para estimar a capacidade de leitos de UTI adulto instalados no país e os custos associados a eles”, salienta Carnielo. 

Tudo sobre: