EDIÇÃO DIGITAL

Segunda-feira

13 de Julho de 2020

'Ciclone bomba' no Sul pode impactar frente fria na Baixada Santista; vídeo

Fenômeno meteorológico está associado a vendaval e chuvas, e deve provocar reflexo na região, com ondas de até 2 metros no mar

Um fenômeno chamado de ‘ciclone bomba’, que afeta a região Sul do Brasil, nesta terça-feira (30), contribui para a chegada de uma frente fria, acompanhada de ventos e chuva, na Baixada Santista. O ciclone foi registrado em vídeo na cidade de Balneário Camboriú, levando diversos objetos como uma mesa e uma porta aos ares, confira:

O climatologista Rodolfo Bonafim, da ONG Amigos da Água, informa que o ciclone bomba pode chegar a ter ventos de maior velocidade que um furacão, atingindo até 150 km/h. “É um ciclone cujos ventos são intensos. Um furacão pequeno tem ventos de, no mínimo, 115 km/h. Então ele ultrapassa esse furacão, mas são ventos sem sustentação, que vão embora rápido. Num furacão, os ventos são contínuos”.

Bonafim explica que ciclones extratropicais são formados em águas frias, como na bacia do Rio da Prata, na Argentina, enquanto furacões - que também são um tipo de ciclone - são formados em águas quentes, como no Caribe. 

O especialista ainda explica que na Baixada Santista os efeitos do ciclone bomba que podem ser observados são a chegada da frente fria, característica típica deste fenômeno. “A região terá temperaturas mais amenas e chuva. Passando a frente fria entre quinta (2) e sexta-feira (3), chegará uma massa de ar polar na região”.

Ressaca

A frente fria que atinge a Baixada Santista pode causar ressaca moderada, de acordo com o Núcleo de Pesquisas Hidrodinâmicas da Unisanta (NPH-Unisanta). As ondas devem agitar o mar nesta quarta-feira (1º), com até 2,0 metros de altura durante a noite e manhã de quinta-feira (2). 

Com relação ao nível do mar, na Baía de Santos a maré pode ultrapassar 1,7m na tarde de sexta-feira (3), representando um aumento de 40cm em relação a tábua de maré. No interior do estuário esse aumento será maior, a previsão é que o nível do mar ultrapasse 1,8m na tarde de sexta-feira.

De acordo com o Plano Municipal de Contingência para Ressacas e Inundações de Santos, o estado é de Atenção devido à previsão de ondas entre 2,0 e 3,0 metros de altura. Se as previsões se mantiverem há possibilidade de alagamentos pontuais devido à maré elevada. Entretanto, não são esperados impactos significativos nas estruturas urbanas costeiras no município de Santos devido à intensidade das ondas.

Tudo sobre: